Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

Hub digital quer acelerar a inovação agrícola

O HUB4Agri une 15 entidades do sector agroalimentar para promover a inovação e a qualificação no sector

Catia Mateus

Catia Mateus

Jornalista

Aproximar a procura do mercado, as necessidades dos produtores agrícolas e as soluções e respostas tecnológicas para a digitalização da agricultura. Foi com este propósito que o Instituto de Soldadura e Qualidade (ISQ), que presta certificação e consultoria técnica em vários sectores de atividade, entre eles o agroindustrial, criou o primeiro hub digital para a agricultura em Portugal, o HUB4Agri.

O projeto, garante Pedro Matias, presidente do ISQ, “está alinhado com as estratégias nacional e europeia para a digitalização da indústria”. Um mês depois do lançamento, Pedro Matias destaca a relevância de, pela primeira vez, “num sector tão compartimentado, se ter conseguido sentar à mesma mesa vários players do sector e criar uma unidade de pensamento própria, em prol de todo um sector e com base em objetivos concretos: mais eficácia, mais eficiência, mais competitividade”.

A plataforma envolve mais de 15 entidades que cobrem toda a cadeia de valor agroalimentar. Estão representadas a Confederação Nacional das Cooperativas Agrícolas de Portugal, várias universidades, o Centro Operativo e de Tecnologia de Regadio, a Comissão Vitivinícola Regional Alentejana, o TICE.PT — Pólo das Tecnologias de Informação, Comunicação e Eletrónica, a Associação para a Competitividade das Indústrias da Fileira Florestal, a Startup Portugal, entre outras. O objetivo, explica, é “criar um ecossistema com soluções inovadoras para o desenvolvimento da competitividade dos sectores agrícola, agroalimentar, florestal, de produção animal e de desenvolvimento rural”. Em suma, “fortalecer a indústria nacional”.

Pedro Matias recorda que, “até 2050, a produção mundial de alimentos necessitará de duplicar para poder dar resposta ao crescimento populacional, com exigência de mais produtos por parte dos consumidores e produtos mais saudáveis”. O desafio, reforça, “é gigantesco”. A missão do HUB4Agri é exatamente apoiar as empresas no caminho de transformação que terão de percorrer. “Na prática, reunimos num mesmo lugar — o hub — um vasto conjunto de competências que vão ser postas ao serviço deste sector numa lógica de stop-shop de soluções”, acrescenta.

O objetivo final é ajudar as empresas a munirem-se das tecnologias necessárias para produzirem “não só mais como também melhores alimentos”. O presidente do ISQ destaca o importante papel que redes de cooperação semelhantes a esta têm desempenhado no processo de transformação digital dos sectores tradicionais como o agrícola. Seja enquanto ecossistemas de inovação, acelerando a automação e a transformação digital, seja na identificação das competências críticas ao sector, ou no apoio à qualificação dos seus profissionais. Uma questão que Pedro Matias encara como crítica e decisiva para o futuro do sector e para a sua competitividade a nível global.