Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

Agricultura perde empregos, mas ganha qualificação

Para serem competitivas 
e sustentáveis, as explorações agrícolas atuais têm de utilizar tecnologia de ponta e contratar profissionais qualificados

FOTO Bartek Sadowski/Bloomberg via Getty Images

Tecnologia. Nos últimos sete anos a automação eliminou 182 mil empregos na agricultura. Mas está a atrair profissionais mais qualificados

Catia Mateus

Catia Mateus

Jornalista

A imagem que acompanha este texto poderá ter os dias contados. Poucas são já as explorações agrícolas onde a mão humana nos processos de colheita não foi substituída pela automação. “As que, tendo escala e dimensão relevante, persistem nesta técnica só o fazem porque a evolução tecnológica ainda não se apresenta como uma alternativa viável”, explica Luís Mira, secretário-geral da Confederação dos Agricultores de Portugal (CAP). E serão poucos, garante. A revolução tecnológica em marcha na agricultura nacional está a mudar por completo o emprego no sector. Nos últimos sete anos, mostram os dados do Instituto Nacional de Estatística (INE), a tecnologia e a consequente redefinição do mercado terá eliminado pelo menos 182 mil empregos no sector primário em Portugal. Mas no mesmo período de tempo, o número de profissionais com formação superior a trabalhar na agricultura aumentou 17% no país.

Para continuar a ler, clique AQUI
(acesso gratuito: basta usar o código que está na capa da revista E do Expresso. pode usar a app do Expresso - iOS e android - para descarregar as edições para leitura offline)