Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

Web Summit: Incidente obrigou centenas de participantes a esperar à chuva para entrar

SOPA Images/Getty

“Vendaval” levou a que participantes estivesse durante mais de meia hora retidos numa fila em frente ao centro comercial Vasco da Gama

Um incidente obrigou esta quinta-feira centenas de participantes a esperar mais de meia hora à chuva para entrar na entrada principal da cimeira de tecnologia Web Summit, tendo-se ouvido estrondos no recinto, justificando a organização o sucedido com "ventos".

Os participantes estiveram, durante este tempo, retidos numa fila em frente ao centro comercial Vasco da Gama, aguardando que entrassem, o que só aconteceu ao meio-dia, depois de vários minutos de espera, constatou a agência Lusa no local.

Dois dos participantes nesta situação foram os sérvios Zoran Miladinovic e Mia Velkanovska, que disseram à Lusa que o que lhes valeu, na espera de meia hora, "foi o chapéu-de-chuva" que traziam.

Ainda assim, "não foi muito agradável esperar", comentou Zoran Miladinovic. Já Mia Velkanovska notou que a espera também "foi má" porque perdeu "alguns discursos que queria assistir". Questionada se sabia o porquê da espera, a jovem contou que "um voluntário" lhe explicou que "foi porque uma porta de um pavilhão [da FIL] se partiu e estão a arranjá-la".

Kisty MacSween e Leah MacSween, do Reino Unido, ficaram "20 minutos à espera". "Estamos cheias de pressa porque está a terminar uma conferência a que queremos assistir, no palco principal", referiram as jovens.

Um agente da PSP no local afirmou à Lusa que "houve um vendaval" e "ouviu-se um estrondo" antes do momento em que restringiram os acessos norte.

Questionados pela Lusa, funcionários e voluntários junto à entrada norte no recinto indicaram apenas que "se registaram problemas técnicos", sem pormenorizar.

Já a organização, depois de várias vezes questionada, acabou por informar mais tarde que "a entrada principal foi fechada para evitar eventuais danos estruturais" devido à ocorrência de "ventos" fortes. A Lusa está ainda a aguardar esclarecimentos da proprietária da infraestrutura, a FIL.

Depois desta espera, foi improvisada uma porta de entrada, com um cordão de várias dezenas de polícias que efetuaram uma revista (sem as máquinas de raio X) rápida, na parte lateral do pavilhão 2 por volta já perto das 12:00. A partir desse momento as entradas foram rápidas e as muitas centenas de participantes na cimeira entraram em poucos minutos para o pavilhão 2, escapando assim à chuva, constatou também a Lusa no local.

A Web Summit termina hoje no Altice Arena (antigo Meo Arena) e na Feira Internacional de Lisboa (FIL), sendo esperados mais de 70 mil participantes de 170 países naquela que é a terceira edição de 13 previstas em Lisboa.