Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

Lucros do BCP quase duplicaram nos primeiros nove meses de 2018

Resultados do banco atingiram 257,5 milhões de euros, um crescimento de 93,1% face a igual período do ano passado. Destaque vai para os proveitos gerados em Portugal

O BCP anunciou esta quinta-feira um crescimento de 93,1% nos seus resultados dos primeiros nove meses do ano, que passaram dos 133,3 milhões de igual período do ano passado para os 257,5 milhões de euros.

Para este crescimento contribuíram significativamente os resultados da atividade doméstica que passaram de 800 mil euros para 114,9 milhões de euros de janeiro a setembro do corrente ano. Os resultados da atividade internacional também cresceram, 7,2%, para 140, 8 milhões de euros.

O presidente do banco, Miguel Maya, sublinha que "houve uma melhoria da rentabilidade e também da qualidade dos ativos", sobretudo através da redução dos NPE (ativos problemáticos) de 1,8 mil milhões de euros face a setembro de 2017. A margem financeira (diferença entre juros cobrados e juros pagos) cresceu 2,9%. Já as imparidades e as provisões decresceram 31,4% para. 431 milhões de euros.

As comissões totais aumentaram 3,1%, com as comissões bancárias a crescer 2,4% sobretudo as relativas a comissões cobradas em cartões e transferências de valores. As comissões relacionadas com os mercados aumentaram 6,5%.

Os recursos totais consolidados cresceram 5,5%, com os recursos de clientes em Portugal a subir 5,8 %, com maior crescimento dos depósitos à ordem e um decréscimo dos depósitos a prazo. Quanto ao crédito concedido verificou-se uma descida da carteira em Portugal de 0,8%, embora o banco tenha registado um crescimento de 0,8% em termos consolidados para o qual contribuiu o aumento de crédito nas operações internacionais, de 5,6%.