Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

Lucros da Corticeira Amorim sobem 4%

Rui Duarte Silva

Empresa lucrou 58,6 milhões de euros entre janeiro e setembro e vai distribuir dividendos extraordinários

A Corticeira Amorim fechou o terceiro trimestre com um aumento de 4% nos lucros, para 58,6 milhões de euros. Encerrados os primeiros nove meses do ano, a empresa liderada por António Rios Amorim vai convocar uma assembleia geral extraordinária para aprovar o pagamento de um dividendo extraordinário de 0,085 euros por ação, através da distribuição de reservas.

Nas vendas, o crescimento foi de 9,8% para 583,8 milhões de euros. O EBITDA cresceu 2,9% para 108,4 milhões de euros.

Na apresentação de resultados, em comunicado enviado à CMVM, a empresa refere que no terceiro trimestre "o impacto da desvalorização cambial do dólar foi quase nulo", ao contrário do que tinha acontecido nos primeiros seis meses do ano. E o período em análise, "já não existiu o impacto da variação de perímetro decorrente da aquisição do grupo Bourrassé", acrescenta.

Todas as Unidades de Negócios (UN) "registaram crescimento de vendas nos primeiros nove meses do ano, com a excepção da UN Revestimentos", sendo que a UN Aglomerados Compósitos "conseguiu inverter o decréscimo de vendas registado no primeiro semestre".

O rácio EBITDA/vendas apresentou uma diminuição, de 19,8% para 18,6%, comparativamente a período homólogo, muito por força da "pressão sobre a margem bruta causada pelo aumento de preços da matéria-prima. Para compensar, foram importantes os ganhos de eficiência operacional, associados a um rigorosos controlo de custos e a uma redução de imparidades", refere o comunicado.

Numa antecipação do cenário no final de 2018, a Corticeira diz que "tendo em conta a evolução dos preços das matérias-primas consumidas na produção, será expectável que esta tendência de diminuição se mantenha até ao final do ano".

A dívida remunerada líquida no final do terceiro trimestre estava nos 104,7 milhões, valor que compara com 92,8 milhões registados no final do ano passado.

A Assembleia Geral extraordinária para aprovar uma distribuição de reservas de 11,3 milhões de euros está agendada para 3 de Dezembro. Esta aprovação, significa que os acionistas receberão um dividendo extraordinário de 8,5 cêntimos por ação, a somar à remuneração de 18,5 cêntimos/ação distribuída no final de abril.

A Corticeira Amorim justifica esta medida com o "sólido crescimento da actividade e dos resultados ao longo dos últimos exercícios, bem como às perspectivas para o corrente exercício", que "vêm permitindo à Corticeira Amorim gerar ‘cash flow’ crescentes".

Por unidades de negócio, a Corticeira registou crescimentos de vendas de 15,2% no segmento das Matérias-Primas (134,8 milhões), 12,8 % nas rolhas (410,2 milhões de euros), 8,9% nos Isolamentos (8,9 milhões) e 3,8% nos Aglomerados Compósitos (77,1 milhões). Nos Revestimentos, no entanto, houve uma quebra de 7,7% (84,1 milhões),