Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

Web Summit: guia para viajar na Meca da tecnologia

nuno botelho

A Web Summit está de volta a Lisboa já a partir desta segunda-feira. Saiba o que não pode perder no evento

Durante a próxima semana, Lisboa volta a ser invadida por geeks, investidores, empreendedores, políticos ou apenas curiosos em conhecer melhor e tirar partido desta Meca da tecnologia e empreendedorismo. A partir de segunda-feira à tarde, a Web Summit torna-se um ponto de paragem obrigatório em Lisboa. Mas a curiosidade tem um preço: cada entrada tem um custo superior a €1000, o valor a pagar por quem não beneficia de convites ou descontos. Apesar disso, são esperados 70 mil participantes, mais dez mil do que no ano passado, que prometem entupir o metro e os acessos ao Parque das Nações. Tanto mais que o primeiro dia do evento coincide com uma greve do metro em Lisboa.

O objetivo de Paddy Cosgrave, fundador do conceito, é atingir os 100 mil visitantes a médio prazo. O evento vai ficar em Portugal durante mais dez anos, o que representa um investimento anual, por parte do Governo, de €11 milhões a partir do próximo ano. Mas com retorno para o país. Só nos últimos dois anos, o impacto na economia portuguesa terá chegado aos €500 milhões, dos quais €300 milhões em 2017.

A edição deste ano traz 23 conferências em nove palcos, distribuídos entre a Feira Internacional de Lisboa (FIL) e a Altice Arena, no Parque das Nações (ver “As escolhas do Expresso”). Em 2018 a Web Summit traz novidades. A organização criou três novos palcos: Unboxed (6 de novembro), DeepTech (7 de novembro) e CryptoConf (8 de novembro), onde se apresentam, respetivamente, gadgets e avaliações de novos produtos, tecnologias emergentes capazes de mudar a vida das pessoas e o futuro da blockchain e das criptomoedas.

Existem ainda as habituais conferências do palco central e outras em torno de temas como automação e robótica (Auto/Tech), dados (binate.io), media e conteúdos (content makers) e um fórum privado com líderes, especialistas de topo e reguladores (Fórum), além de apresentações de empresas de grande crescimento (Growth Summit) e os Startup Workshops que ensinam a fazer um pitch (apresentações rápidas a investidores e ao mercado) de sucesso ou a respeitar o Regulamento Geral de Proteção de Dados da União Europeia. Durante o evento ocorre também o programa Women in Tech, com encontros entre mulheres e líderes de topo para debater questões relacionadas com inclusão e progressão na carreira.

Tirar o melhor partido da Web Summit exige preparação. Foi por isso que, com a ajuda da Startup Lisboa e Startup Portugal, compilámos um conjunto de dicas para não se perder.

Para continuar a ler o artigo, clique AQUI)
(acesso gratuito: basta usar o código que está na capa da revista E do Expresso. pode usar a app do Expresso - iOS e android - para descarregar as edições para leitura offline)