Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

“Gostaria de ver o PS prometer a abolição de portagens no interior”

João Paulo Catarino, 49 anos, vive numa aldeia com 11 habitantes. Em Casal de Ordem, a poucos quilómetros de Proença-a-Nova, só moravam, aliás, seis pessoas, até o secretário de Estado do Interior se ter instalado lá com a mulher. Tiveram três filhos e “na verdade, praticamente duplicámos o número de habitantes”, nota o governante. Faz milhares de quilómetros todas as semanas, quase tudo no interior, e diz que em cada €800 de combustível, gasta €600 em portagens: “É um exagero. Isto tem de mudar”

ANA BAIÃO

João Catarino Secretário de Estado da Valorização do Interior

Vítor Andrade

Vítor Andrade

texto

Jornalista

João Paulo Catarino garante que vai passar a haver mais Governo no interior do país. Diz que a instalação da sua secretaria de Estado em Castelo Branco é um sinal político forte, e que, embora pelos piores motivos, as campainhas a propósito do interior tocaram em vários ministérios depois dos incêndios de 2017.

Como é que nasce a Secretaria de Estado da Valorização do Interior? É uma espécie de fase seguinte da Unidade de Missão para o Interior, onde estava há três anos?
A visibilidade é, agora, muito maior e creio que o interior sai valorizado. Acima de tudo, espero que esta secretaria de Estado se torne irreversível. Ou seja, que continue a existir para lá deste Governo. Mas a maior vantagem é ter ficado na dependência direta do ministro-adjunto que tem também a Economia. Até porque o desenvolvimento do interior faz-se por via da economia e do emprego.

Para continuar a ler o artigo, clique AQUI
(acesso gratuito: basta usar o código que está na capa da revista E do Expresso. pode usar a app do Expresso - iOS e android - para descarregar as edições para leitura offline)

  • “O cadastro dos prédios rústicos pode mudar a forma como olhamos para o Interior”

    O Governo quer avançar para a segunda fase do cadastro simplificado, desafiando 150 municípios a aderir ao projeto. Nos concelhos que participarem neste projeto-piloto demorou-se 10 meses para conhecer 50% dos proprietários. Anabela Pedroso, secretária de Estado da Justiça que ao longo da sua vida liderou projetos de modernização no Estado como o cartão do cidadão ou as lojas do cidadão, diz que este foi o mais gratificante de todos. Pela proximidade com os cidadãos e pelo facto de permitir uma mudança de paradigma na relação que temos com a terra