Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

BE chegou a acordo com Governo. Propina máxima cai mais de 200 euros

Nuno Botelho

No ano letivo de 2019-2020 a propina máxima passará a ser de 856 euros, anuncia Mariana Mortágua.

O Bloco de Esquerda anunciou hoje que chegou a acordo com o Governo para garantir uma descida do teto máximo das propinas no ensino superior para os 856 euros no próximo Orçamento do Estado.

As propinas ficarão, assim, 212 euros abaixo valor aplicado atualmente, anunciou a deputado do BE, Mariana Mortágua esta manhã, numa conferência de imprensa sobre um conjunto de medidas em que o seu partido chegou a acordo com o Governo para o Orçamento de Estado de 2019, depois de uma longa reunião com o primeiro-ministro, António Costa, que terminou já de madrugada.

A primeira medida anunciada foi a redução das propinas no Ensino Superior, que neste momento tem um teto máximo de 1068 euros e no ano letivo de 2019/2020 passará a ser de 856 euros, o que representa uma redução de 212 euros por ano. “Sabemos que a educação universitária tem um custo demasiado elevado para muitas famílias”, sublinhou Mortágua quando anunciou a medida

A porta-voz do Bloco de Esquerda referiu, ainda, outras medidas acordadas com o Governo, como o fim da penalização na reforma antecipada para longas carreiras e uma redução de 5% na fatura da energia.