Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

Recrutamento: candidatos acusam Câmara do Porto de desleixo

Uma prova de admissão a um emprego na Câmara Municipal do Porto foi anulada por conter questões desfasadas da bibliografia. 121 candidatos têm de repetir a prova. É a segunda vez que tal erro acontece

Este é mais um caso em que candidatos a um concurso de emprego se sentem destratados e ofendidos pelo aparente desleixo dos serviços da Câmara Municipal do Porto (CMP).

Em julho, 121 candidatos participaram na prova de conhecimentos para selecionar um técnico superior para a área de Gestão de Conteúdos Comunicacionais. Esta semana, os candidatos receberam uma notificação a anular a prova e uma nova convocatória para o dia 15 de outubro. A notificação explicava que o júri verificou que a prova incluía questões cujo conteúdo não constava da bibliografia anunciada aquando do lançamento do concurso.

"Descuido" e "falta de respeito" ou casos isolados?

“É revoltante, uma falta de respeito. É segunda vez que me cancelam uma prova pelo mesmo erro”, reage ao Expresso uma das candidatas.

A visada vai avaliar “se é possível impugnar o concurso”, porque não tenciona repetir a prova. Lamenta que a repetição ocorra num dia de semana, “uma situação gravosa para quem trabalha e já teve, como eu, de faltar ao emprego na prova anterior”.

O argumento do júri para cancelar a prova “é verdadeiro”. Mas, tal só ilustra “o desleixo e sobranceria” com as provas são organizadas. No caso anterior, foram mais de 100 os candidatos lesados.

A situação repete-se “porque os responsáveis pela elaboração da prova, por desatenção ou falta de profissionalismo, cometem o erro de retirarem perguntas de outras provas, de concursos semelhantes, sem considerarem tal bibliografia”, refere outra candidata.

A CMP reconhece que a prova em causa “foi anulada por conter questões que não constavam na bibliografia indicada”. Mas, é falso que a situação seja recorrente. Nos últimos cinco anos “ocorreu apenas duas vezes”.

No outro caso, a repetição deveu-se “à indisponibilidade a nível nacional de um item da bibliografia indicada, e que o júri só detetou após reclamações dos candidatos”, diz a CMP.

A CMP conta neste momento com 22 concursos a decorrer, movimentando 8627 candidatos.

No passado, houve candidatos a queixarem-se de provas à mesma hora para concursos da mesma área, forçando à desistência de um deles. E outros denunciaram imprecisões no local da prova, provocando incómodos e atrasos.