Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

Tecnológicas portuguesas com vista para Silicon Valley

A Feedzai, em San Mateo, e a Talkdesk, em São Francisco, são duas empresas portuguesas com escritório na baía 
de São Francisco, que inclui a região
de Silicon Valley

D.R.

São empresas lusas com um pé na baía de São Francisco para captarem capital, clientes e talento. Aí adquirem conhecimento ‘de ponta’ que investem no mercado português

Maria João Bourbon

Maria João Bourbon

em Silicon Valley

Jornalista

O escritório é um miradouro panorâmico para uma das cidades mais inovadoras dos Estados Unidos — e do mundo. As paredes envidraçadas oferecem uma vista de 360º sobre São Francisco, deitando um olhar para o mais alto edifício da cidade: a recém-construída torre da Salesforce, empresa de software que investiu na Talkdesk. Sediada no coração da cidade californiana, esta empresa portuguesa está ladeada por importantes nomes do sector tecnológico, como a plataforma de comunicação empresarial Slack e a Fitbit, que aposta no segmento dos wearables (tecnologia vestível). Aqui e ali, os edifícios em construção revelam o dinamismo crescente de uma cidade que tem vindo a atrair cada vez mais empresas que inicialmente preferiam polos como Santa Clara ou San Mateo.

Para continuar a ler o artigo, clique AQUI

  • As startups estão a fugir de Silicon Valley?

    Conhecida como a meca da tecnologia e da inovação, a região da Califórnia está a ver muitos dos seus empreendedores e investidores a procurarem outras geografias. O elevado custo de vida, as longas horas passadas no trânsito e a dificuldade para as startups atraírem e reterem talento num mercado de trabalho supercompetitivo são alguns dos motivos. Mas existem mais

  • Ganhar três mil dólares por mês e não ter onde viver

    É americana, trabalha a tempo inteiro, paga impostos, mas não tem mais do que o carro para viver. Aos 45 anos, os sonhos que tinha fugiram com o fim de um casamento de oito anos que a empurrou para as ruas. Sozinha e sem conhecer ninguém em São José, não consegue pagar uma renda no condado de Santa Clara, nos Estados Unidos, onde trabalha. María García é uma das histórias sobre os trabalhadores sem-abrigo de Silicon Valley