Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

Coudelaria de Alter do Chão concessionada a grupo hoteleiro para dinamizar turismo equestre

Concessão é feita por 50 anos e o investimento total para a recuperação do edificado está estimado em oito milhões de euros. O hotel deverá ser inaugurado em 2020.

Edifícios da Coudelaria de Alter do Chão foram nesta sexta-feira concessionados por 50 anos ao grupo Vila Galé para a reconversão num hotel de quatro estrelas, que pretende dinamizar o turismo equestre neste concelho do distrito de Portalegre. Segundo o contrato, hoje assinado, a concessão é feita por 50 anos e o investimento total para a recuperação do edificado está estimado em oito milhões de euros. O hotel deverá ser inaugurado em 2020.

Este é considerado "um projeto âncora de dinamização turística e económica do interior" e levou à cerimónia, que hoje decorreu no Ministério da Agricultura, em Lisboa, os ministros da Agricultura, Capoulas Santos, das Infraestruturas, Pedro Marques, e da Economia, Manuel Caldeira Cabral, além da Secretária de Estado do Turismo, Ana Mendes Godinho, e do presidente da Câmara de Alter do Chão, Francisco dos Reis, além dos signatários do acordo.

A concessão pretende "afirmar ainda mais Alter do Chão como um dos principais centros de turismo equestre em Portugal", destacar o potencial da Coudelaria para o turismo da região, para o emprego e para a projeção do cavalo Alter Real, salientaram os ministros. De acordo com Capoulas Santos, falta agora "criar condições para que tudo aquilo que é património de Alter e que atualmente está disperso por várias entidades possa ser utilizado".

Manuel Caldeira Cabral, ministro da Economia, destacou que, ao abrigo do Revive, oito edifícios já foram alocados a concurso até agora, estimando o Governo que até ao final do ano cheguem aos 16. O próximo a ser lançado é o concurso de concessão da Casa de Marrocos (Idanha-a-Nova).

O presidente do Grupo Vila Galé, Jorge Rebelo de Almeida, afirmou que o projeto para a Coudelaria de Alter está praticamente pronto, deve ser apresentado dentro de um mês e ser concretizado 19 meses após a aprovação do projeto. O Grupo compromete-se a construir um "hotel temático de quatro estrelas, com aproximadamente 76 quartos", distribuídos pela Casa de Campo, pelas antigas cavalariças, pelo edifício administrativo e pelas antigas pocilgas. O hotel vai dispor de 'spa' e restaurante com aposta na gastronomia regional e utilizará a enoteca e o lagar em eventos temáticos.

O Revive é um programa conjunto dos ministérios da Economia, Cultura e Finanças, que pretende valorizar e recuperar o património sem uso, reforçar a atratividade dos destinos regionais e o desenvolvimento de várias zonas do país. A Coudelaria de Alter do Chão, fundada em 1748 por D. João V, desenvolve trabalhos de seleção e melhoramento de cavalos Lusitanos e possui uma unidade clínica dotada com todos os meios para o acompanhamento e tratamento médico dos animais, acolhendo, nas suas instalações, entre outras valências, o Laboratório de Genética Molecular.

A coudelaria, que emprega cerca de 30 pessoas, passou a ser gerida, em março de 2007, pela Fundação Alter Real (FAR), após a extinção do Serviço Nacional Coudélico, no âmbito do Programa de Reestruturação da Administração Central do Estado. Após a extinção da FAR, em agosto de 2013, a Companhia das Lezírias assumiu a gestão da coudelaria, cabendo a gestão do Laboratório de Genética Molecular à Direção-Geral de Alimentação e Veterinária.

O contrato de concessão foi assinado pelo presidente e pela vogal da Companhia das Lezírias, pelo subdiretor-geral de Tesouro e Finanças e pelo presidente do Grupo Vila Galé.