Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

Obras na Ponte 25 de Abril adjudicadas a consórcio da Somague por €12,6 milhões

As novas obras de manutenção da Ponte 25 de Abril custam 18 milhões de euros e devem arrancar no final do ano ou no início de 2019. Há fissuras, brechas e parafusos soltos, segundo um relatório do LNEC Foto João Carlos Santos

Foto João Carlos Santos

Inicialmente, a IP tinha estimado que os trabalhos seriam orçados em 18 milhões de euros, mas o consórcio vencedor - entre seis - apresentou uma proposta inferior

As obras na Ponte 25 de abril foram hoje adjudicadas por 12,6 milhões de euros ao consórcio composto pelas empresas Somague, Sociedade de Montagens Metalomecânicas e STAP--Reparação, Consolidação e Modificação de Estruturas, anunciou a Infraestruturas de Portugal (IP).

"As intervenções previstas incidem sobre elementos metálicos da ponte suspensa e em elementos de betão armado pré-esforçado do viaduto de acesso norte", refere o comunicado de imprensa sobre as obras na ponte que liga as duas margens do rio Tejo entre Almada e Lisboa. A empresa explica que se tratam de "trabalhos de construção metálica, soldadura, reposição localizada da proteção anticorrosiva, substituição de elementos não estruturais, limpeza, tratamento e pintura pontual de superfícies de betão".

Inicialmente, a IP tinha estimado que os trabalhos seriam orçados em 18 milhões de euros, mas o consórcio vencedor - entre seis - apresentou uma proposta inferior, no total de 12,6 milhões de euros. Além do consórcio da Somague, apresentaram propostas finais a Martifer - Construções Metalomecânicas, a Promanec - Engineering & Construction e os consórcios Extraco Construccions e Proxectos/ Alexandre Barbosa Borges, Conduril - Engenharia/ Edirio Construções e Teixeira Duarte/ Sociedade Internacional de Montagens Industriais.

Em março, a revista Visão noticiou que o Governo tinha recebido um mês antes um relatório do Laboratório Nacional de Engenharia Civil que alertava para a necessidade de "medidas urgentes" de reparação, depois de "terem sido detetadas 'fissuras' numa zona estrutural da travessia".

Então, o presidente executivo da IP, António Laranjo, disse que a obra de reparação da Ponte 25 de Abril não era urgente, que se houvesse perigo a infraestrutura "estaria fechada" e falou que ia ser lançado um concurso de reabilitação. Já recentemente, em 12 de setembro, no parlamento, o ministro do Planeamento e das Infraestruturas, Pedro Marques, estimou que a empreitada começasse "ainda este ano".

Ainda segundo o comunicado da IP, as intervenções adjudicadas resultam de atividades de inspeção e de monitorização do comportamento estrutural da Ponte 25 de Abril, que foram "promovidas em contínuo pela IP, e executadas pelo ISQ -- Instituto de Soldadura e Qualidade e pelo Laboratório Nacional de Engenharia Civil". Segundo a IP, a consignação deverá ocorrer "ainda no decurso do corrente ano".