Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

Inflação desceu para 1,2% em agosto

O Índice de Preços no Consumidor inverteu em agosto a trajetória de subida que estava a registar desde maio, segundo dados divulgados esta quarta-feira pelo Instituto Nacional de Estatística. A inflação não incluindo os produtos com preços mais voláteis caiu para 0,6%, o nível mais baixo desde abril

Jorge Nascimento Rodrigues

A inflação desceu para 1,2% em agosto, segundo dados divulgados esta quarta-feira pelo Instituto Nacional de Estatística (INE). Esta variação do Índice de Preços no Consumidor (IPC) é calculada em termos homólogos, ou seja, em relação ao mesmo mês do ano anterior. Com um arredondamento a uma casa decimal, esta taxa coincide com o valor da estimativa rápida para o IPC divulgada a 31 de agosto.

A variação média deste índice nos últimos doze meses foi, também, de 1,2%, uma taxa superior à registada no mês anterior. Em termos de evolução em cadeia, de um mês para outro, o índice registou uma variação negativa, de -0,3%.

A descida da inflação para 1,2% representa uma inversão da trajetória de subida do IPC, que vinha a verificar-se desde maio. Em abril, a inflação descera para um mínimo do ano de 0,4%, para depois seguir nos três meses seguintes para 1,04%, 1,52% e 1,58%.

Uma nova estimativa da inflação na zona euro em agosto será divulgada pelo Eurostat, o organismo de estatísticas da União Europeia, a 17 de setembro. Na estimativa rápida realizada no final de agosto, a inflação em agosto para o conjunto dos membros do Euro situou-se em 2%, muito acima da prevista para Portugal então (1,3%). Com taxas de inflação previstas acima de 2% incluem-se Eslováquia, Espanha, França, Letónia, Luxemburgo e Malta, segundo os dados disponíveis no Eurostat.

No caso da inflação subjacente, que exclui as componentes do índice mais voláteis, como os produtos alimentares não transformados e energéticos, a variação do IPC em agosto foi de 0,6%, o nível mais baixo desde abril deste ano.

Nas comparações europeias, usa-se o Índice Harmonizado de Preços no Consumidor (IHPC), que, no caso de Portugal, registou uma variação homóloga de 1,3%, uma taxa inferior em 0,9 pontos percentuais à do mês anterior e inferior em 0,7 pontos percentuais à estimativa do Eurostat para a área do Euro. O IHPC regista uma variação média dos últimos doze meses de 1,4%, valor idêntico ao registado em julho.