Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

Sogrape compra Quinta do Centro, em Portalegre

A Sogrape reforça no Alentejo com a aquisição de um quinta que fora o "sonho lusitano" de um critico de vinhos britânico

A Sogrape reforçou a sua operação no Alentejo com a aquisição da Quinta do centro, na encosta da serra de São Mamede (Portalegre) com 13 hectares de vinhas em produção. A área total é de 21 hectares, contando com sobreiros e oliveiras.

A quinta torna-se, em 2005, no "sonho lusitano" do jornalista e consultor britãnico Richard Mayson, com cinco livros publicados sobre vinhos portugueses.

Após uma pesquisa demorada e depois de ter colaborado com a cooperativa de Portalegre, Mayson concluiu que a propriedade era o local certo para produzir os seus próprios vinhos. Investiu numa nova adega e plantou mais vinha, traçando como meta a venda de 50 mil garrafas (40000 litros). O nome com que batizou a empresa que fundou diz tudo: Sonha Lusitano,

No seu blogue, dá conta que tem em produção "três marcas de vinhos (Pedra Basta, Duas Pedras e Pedra e Alma), todas eles de caráter premium, refletindo "a variedades de castas e o terroir da região".

A Quinta do Centro conhece agora um novo capítulo, cabendo à Sogrape tirar o melhor partido das vinhas velhas, algumas com 70 anos, que dominam as plantações numa encosta a 500 metros de altitude. O grupo reforça a exposição aos vinhos do Alentejo, uma região em que se a sua exposição, reduzida à Herdade do Peso, era deficitária.

A ambição, diz a Sogrape, "é produzir vinhos de grande qualidade" . O negócio incluiu a adega com capacidade de vinificação de 100.000 quilos e um armazém subterrâneo, com capacidade de envelhecimento de 18.000 litros em barrica.