Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

“A sangria acabou.” Aventura da TAP na manutenção no Brasil custou mais de 500 milhões

Presidente da TAP decidiu fechar a operação da Manutenção em Porto Alegre, no Brasil. Fê-lo depois de despedir mil pessoas. Ao longo dos vários anos, a empresa afundou mais de 500 milhões de euros na VEM. Quase tanto quanto a dívida bancária da companhia

A decisão foi revelada pelo presidente executivo da TAP ao Expresso, numa entrevista publicada na íntegra no sábado no semanário. A VEM, operação de manutenção no Brasil, foi responsável por milhões de euros em prejuízos ao longo de anos. Agora, o mal foi cortado pela raiz.

"Desde a privatização passámos por um trabalho de eficiência no Brasil para tentar otimizar a operação, estancar a sangria, parar de perder dinheiro. Isso foi feito durante 2016 e primeiro semestre de 2017. Este ano percebemos que mesmo com os esforços de eficiência, a operação, da forma como estava desenhada, não tinha condições de contribuir para o grupo positivamente", afirmou Antonoaldo Neves. "Chegámos à conclusão de que era preciso reduzir drasticamente a operação"

A TAP fechou em julho a operação de Porto Alegre, mantendo "apenas duas pequenas operações, uma de motores, estamos à procura de um parceiro para ficar com essa operação, e há também um negócio de trens de aterragem. É residual".

No processo foram despedidas mil pessoas e, e
ste ano, "até julho, a operação deu pela primeira vez “break-even” [equilíbrio]". Ao longo de todos estes anos, o investimento perdido na empresa foi superior a 500 milhões de euros. Um valor que se aproxima da dívida bancária da TAP.

Leia na íntegra a entrevista de Antonoaldo Neves ao Expresso AQUI.