Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

Concorrentes da Ryanair não vão reduzir o peso e o tamanho da bagagem transportada gratuitamente

Foto Enric Fontcubierta

Easyjet, Transavia, Brussels Arlines e várias outras companhias low-cost contactadas pelo Expresso asseguram que não vão passar a cobrar a bagagem de cabina

A decisão da Ryanair de acabar com o transporte gratuito das malas e trolleys até 10 quilos que até agora podiam ser colocados no compartimento para bagagem situado por cima dos passageiros não vai ser seguida pelos principais concorrentes. O Expresso contactou esta sexta-feira 12 companhias low cost que operam em Portugal e, das 10 que responderam (Easyjet, Vueling, Transavia, Wizz Air, Brussels Airlines, Norwegian Air, Aer Lingus, TUI Fly, Blue Air e FLYBE), nenhuma admitiu ter planos para alterar a sua política de bagagem.

Apesar da garantia de que o transporte de malas de mão “continuará a ser gratuito”, a Brussels Airlines reconhece que o número crescente de trolleys levados para a cabina pelos passageiros “está a tornar-se um problema para todas as companhias”, aumentando os tempos de embarque e atrasando muitos voos. Para evitar essa sobrecarga, a transportadora oferece desde a primavera a possibilidade de os seus passageiros despacharem de graça a bagagem de mão.

Só a FLYBE, que opera a partir do aeroporto de Faro para vários destinos no Reino Unido e Irlanda, optou por uma resposta vaga à pergunta do Expresso (“Tem planos para alterar a sua política de bagagem de mão?”): “A FLYBE determina a sua própria política de bagagem e, como todas as operações comerciais, continuará a rever a sua política de preços para assegurar que se mantém competitiva”.

Eurowings e Jet2.com não responderam até à hora de fecho da edição diária do Expresso desta sexta-feira.

A Ryanair anunciou recentemente que vai passar a cobrar a bagagem de cabina, à exceção de “uma pequena mala pessoal” de cada passageiro, que deverá ficar debaixo do banco do passageiro da frente. As dimensões máximas dessa “pequena mala pessoal” são 40 cm por 20 cm de profundidade e 25 cm de altura.

A partir de novembro, se levar uma segunda mala, que não caiba sob o banco da frente, terá de pagar 25 euros, a não ser adquira o bilhete com opção Prioritário. Neste caso, e pagando a partir de 8 euros extra, além de ficar com prioridade nas filas poderá levar a mala pequena encaixável sob o banco da frente e outra até 10 kg para colocar no compartimento para bagagem situado por cima dos passageiros.