Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

Carlsberg desiste dos anéis de plástico para amarrar as latas de cerveja. Agora vai usar cola

JUSTIN TALLIS/Getty

Fabricante dinamarquesa afirma que vai poupar 1200 toneladas de plástico por ano, equivalentes a 60 milhões de sacos que não irão contribuir para agravar a poluição do planeta. O Reino Unido será o mercado onde a nova solução para as embalagens será lançada

Se é consumidor de cerveja, conhece aqueles anéis de plástico que costumam amarrar os pacotes de meia dúzia de latas da bebida que virtualmente todos os fabricantes utilizam. Em breve, pelo menos um desses produtores de marcas mais populares vai deixar de usar as peças em causa e planeia substituí-las por uma solução mais amiga do ambiente.

A Carlsberg, fabricante dinamarquesa, apresentou em Copenhaga uma nova forma de apresentar as latas de cerveja que, garantiu, será suficientemente consistente para assegurar que os recipientes poderão ser transportados de forma confortável para casa, apesar de poderem ser separados sem dificuldade. O truque está no uso de uma cola que dispensará o uso de plástico, uma solução que vai ser lançada, inicialmente, no mercado do Reino Unido onde a Carlsberg vende perto de um terço da produção anual.

O recurso ao material adesivo para manter as latas unidas deverá permitir à empresa reduzir em 75% a utilização de plástico, de acordo com a informação divulgada pelo jornal britânico "The Telegraph". O processo de desenvolvimento da cola demorou três anos a ser concluído e a Carlsberg afirma que será o primeiro produtor a nível global a optar por esta solução.

Christopher Stuhlmann, o inventor da proposta, começou por testar a solução em casa após ter tido a ideia. Numa loja de bricolage comprou todos géneros de fitas adesivas e de colas que estivessem disponíveis, segundo contou àquele jornal. Depois, durante um fim de semana, abdicou das horas de lazer para colar objetos com os materiais que tinha adquirido. Filmou tudo para mais tarde poder mostrar ao presidente executivo da empresa de design para a qual trabalha, parceira de negócios da Carlsberg, que se entusiasmou com a inovação.

O World Wild Life Fund acabou por fornecer apoio à solução e eligiou-a ao considerar que se trata de "um grande passo" nos esforços para travar a poluição causada em todo o mundo pelos plásticos. Se as previsdões da Carlsberg estiverem corretas, não será caso para menos. O responsável da fabricante para a área da sustentabilidade disse que a redução do uso de plástico pela empresa equivalerá a menos 1200 toneladas por ano, o que equivale a 60 milhões de sacos de plástico.