Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

Visabeira já fatura 64% no estrangeiro

Lucros antes de impostos crescem 21,5% para os 61,3 milhões de euros no semestre

O Grupo Visabeira obteve um lucro antes de juros, impostos, depreciações e amortizações (EBITDA) de 61,3 milhões de euros nos primeiros seis meses de 2018, mais 21,5% face a igual período do ano passado. “Com uma margem de 18,8% contra 17,2% em igual período do ano anterior”, adianta a empresa em comunicado de imprensa.

Já o volume de negócios cifrou-se nos 327 milhões de euros, o que corresponde a um crescimento de 11,7% relativamente ao período homólogo.

A holding, que hoje opera em diferentes sectores de atividade, destaca “o resultado operacional recorrente de 43 milhões de euros, superior ao período homólogo de 2017, onde este se fixou nos 33 milhões de euros”.

A internacionalização tem sido uma prioridade e a empresa já tem lá fora 64% da sua faturação. “Relativamente ao mercado europeu, neste semestre, o volume de negócios cresceu sustentadamente de forma orgânica atingindo o montante de 158 milhões de euros, com destaque para presença em França, Alemanha, Itália, Bélgica e Dinamarca. No que diz respeito aos mercados de África, estes registam cerca de 49 milhões de euros de volume de negócios no mesmo período”, adianta a companhia.

As atividades mais importantes para o Grupo continuam a ser a televisão por cabo e os serviços de engenharia de redes de telecomunicações, eletricidade e gás, que representam 71% do volume de negócios e 60% do EBITDA.

Dos projetos no estrangeiro, o Grupo destaca a joint venture, através da Constructel, com um parceiro inglês para construção de rede de fibra ótica para a British Telecom. Na Índia, o destaque vai “para o início de atividade de operador Wholesale com construção, operação e manutenção de rede em fibra ótica numa extensão de 3.000 quilómetros, com receitas de exploração já contratadas de 35 milhões de euros”.

Cá dentro, na área de Indústria, a empresa está a investir na expansão da capacidade produtiva em 60% na Ria Stone, subsidiária do Grupo Vista Alegre, “para executar contrato com IKEA que garante a compra de toda a produção até 2026 num valor global de 250 milhões de euros”.

Na Bordallo Pinheiro, a Visabeira também quer aumentar o fabrico de peças e a sua qualidade. “Está prevista a ampliação de 70% da capacidade produtiva de modo a permitir uma maior automação de processos e desenvolvimento de novos produtos com maior valor acrescentado e qualidade superior”.

As telecomunicações e a construção estão na génese da Visabeira, fundada há 35 anos em Viseu, onde mantém a sede. Atualmente está presente em 15 países e comercializa os seus produtos e serviços para mais de 70 economias.