Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

Corticeira Amorim lucra mais 9% no primeiro semestre

Rui Duarte Silva

A fabricante de rolhas e materiais de cortiça lucrou 41 milhões de euros até junho, crescendo em todas as áreas de negócio, exceto na de revestimentos

Miguel Prado

Miguel Prado

Jornalista

A Corticeira Amorim alcançou no primeiro semestre deste ano um lucro de 41 milhões de euros, mais 9% do que no mesmo período do ano passado, informou a empresa em comunicado à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM).

Entre janeiro e junho as vendas da Corticeira Amorim ascenderam a 400 milhões de euros, com um crescimento de 12,7% em termos homólogos, que a empresa justifica com a melhoria da atividade e também com a integração das empresas Bourrassé e Elfverson.

A Corticeira Amorim teve uma subida da faturação nas áreas de matérias-primas, aglomerados, rolhas e isolamentos, tendo as vendas caído apenas na unidade de negócios de revestimentos (onde a rentabilidade foi afetada por imparidades de clientes).

O EBITDA (resultado antes de juros, impostos, depreciações e amortizações) melhorou 9,6%, para 77,4 milhões de euros.

A integração de três empresas fez a dívida líquida da Corticeira Amorim disparar de 11 para 102 milhões de euros.