Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

Sabe onde os preços das casas mais aumentaram? Não foi na capital

Jos\303\251 Carlos Carvalho

Lisboa apresentou, no entanto, o preço mediano de alojamentos familiares mais elevado (2.581 euros por metro quadrado), mas com uma variação homóloga de 20,4%

O preço mediano da habitação na cidade do Porto aumentou 22,7% nos primeiros três meses deste ano, no conjunto das cidades portuguesas com mais de 100 mil habitantes analisadas pelo Instituto Nacional de Estatística.

Lisboa apresentou, no entanto, o preço mediano de alojamentos familiares mais elevado (2.581 euros por metro quadrado), mais com uma variação homóloga de 20,4%. Os dados divulgados esta terça-feira pelo INE indicam ainda que 40 municípios, localizados maioritariamente no Algarve e na Área Metropolitana de Lisboa, apresentaram um preço mediano de venda de habitação superior ao valor nacional, o qual se situa nos 950 euros/m2.

O INE explica que nestas estatísticas toma-se a mediana (valor que separa em duas partes iguais o conjunto ordenado de preços por metro quadrado) como referência para os preços de venda de alojamentos familiares (euro/m2 ), o que permite reduzir o efeito de valores extremos na leitura do comportamento tendencial do mercado à escala local. “Salvo indicação em contrário, a mediana é determinada no período anual terminado no trimestre de referência desta publicação, eliminando-se possíveis efeitos sazonais no comportamento dos preços e aumentando-se assim o detalhe geográfico de apresentação de resultados”.

No primeiro trimestre de 2018, a variação homóloga do preço mediano de alojamentos vendidos em Portugal foi +7,8%, passando de 881 euros/m2 no 1º trimestre de 2017 para 950 euros/m2 no 1º trimestre de 2018. A cidade de Lisboa apresentou o preço mediano de alojamentos familiares mais elevado (2 581 euros/m2 ), entre as sete cidades com mais de 100 mil habitantes. A cidade do Porto destacou-se por registar o maior crescimento face ao período homólogo: +22,7%.

Porto na frente

Face ao período homólogo do ano passado, todas as cidades com mais de 100 mil habitantes registaram uma subida dos preços da habitação. A cidade do Porto (+22,7%), de Lisboa (+20,4%), da Amadora (+13%) e de Vila Nova de Gaia (+10,8%) registaram as taxas de crescimento “mais expressivas”, segundo o INE.

“As cidades do Funchal (+9,3%) e Braga (+8,1%) registaram também taxas de crescimento homólogas superiores ao valor nacional. A cidade de Coimbra registou o menor crescimento relativo (+4,1%) face ao 1º trimestre de 2017”, conclui a mesma análise.

O INE destaca ainda que nos primeiros seis meses de 2018, três das 24 freguesias da cidade de Lisboa registaram preços medianos de venda de alojamentos superiores a 3 500 euros/m2 : Santo António – que inclui a Avenida da Liberdade e áreas adjacentes –, Misericórdia (3 667 euros/m2 ) – que inclui a área do Bairro Alto e do Cais do Sodré – e, adicionalmente, face ao trimestre anterior, a freguesia de Santa Maria Maior (3 528 euros/m2 ) – que inclui a área do Castelo e Baixa/Chiado.

Já as freguesias de Marvila, Beato, Santa Clara, Lumiar, Areeiro e Carnide registaram, no primeiro trimestre de 2018, preços medianos e taxas de variação face ao período homólogo inferiores aos da cidade de Lisboa. Marvila foi a freguesia de com o menor preço mediano (1 483 euros/m2 ) e a única freguesia com uma evolução negativa do preço da habitação face ao mesmo período do ano anterior.

Na área urbana da Invicta, a União de freguesias de Cedofeita, Santo Ildefonso, Sé, Miragaia, São Nicolau e Vitória, destacou-se entre as sete freguesias da cidade, por apresentar, simultaneamente, um preço mediano de alojamentos vendidos acima do valor da cidade (1 379 euros/m2 ) e uma taxa de variação face ao período homólogo superior à verificada na cidade (+22,7%).