Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

O que preocupa mais as empresas? Justiça, fisco e licenciamentos

rui duarte silva

Inquérito aos custos de contexto do INE mostra que as dificuldades de contratação de recursos humanos são cada vez maiores

As empresas portuguesas apontam o sistema judicial, os licenciamento e o sistema fiscal como "os maiores obstáculos" à sua atiividade, revela o Inquérito aos Custos de Contexto do INE – Insituto Nacional de Estatística, hoje divulgado.

As empresas continuam, assim, a apontar o dedo exatamente aos mesmos factores que destacaram em 2014 no domínio dos custos de contexto, sublinha o INE. No entanto, comparando 2014 e 2017, o indicador que registou maior agravamento entre os nove items em análise foi o dos recursos humanos, "refletindo principalmente dificuldades na contratação de trabalhadores (+0,28) e no acesso a técnicos qualificados (+0,23).

O indicador global de custos de contexto do INE, apresentou, em 2017, um valor intermédio de 3,05 pontos numa escala de 1 a 5, replicando o resultado de 2014.

Por sectores, o alojamento e restauração continua a ser o que apresenta o indicador mais elevado (3,16), apesar de ter caído 0,05 pontos face a 2014.

As empresas de pequena e média dimensão continuam a ser as que apresentam o indicador mais elevado (3,09 pontos) e o quadro agravou-se face a 2014 em 0,02 pontos. Já as de micro dimensão percecionaram custos de contexto mais baixos, na ordem dos 2,49 pontos, o que representa uma descida de 0,4 pontos face a 2014.

No conjunto dos custos associados ao cumprimento das obrigações de informação, 88,5% foi suportado com meios da própria empresa e 13,5% foi determinado pela subcontratação de terceiros.

A prestação e entrega de informação empresarial e fiscal registou o maior peso no custo médio annual com o cumprimento de obrigações de informação (37,5%), seguida das licenças, certidões, autorizações ou peermissões (23,2%).