Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

Olá investe €40 milhões em publicidade e entra na Uber Eats

Reforço da campanha #dizolá e do gelado Solero determinam aumento de 10% nos gastos em publicidade. Aplicação digital está disponível em Lisboa desde quarta-feira e é a estratégia para crescer fora das praias

A Olá vai enfrentar o calor do verão em várias frentes e tem previsto um investimento em publicidade de €40 milhões. A entrada em plataformas digitais como a Uber Eats, onde está desde quarta-feira, é a aposta para aumentar as vendas através de um tipo de serviço que tem cada vez mais procura.

"Sabemos que historicamente estamos muito presentes no momento praia, ocasião em que já somos top of mind (marca de gelados mais referida de forma espontânea) há várias décadas. A entrega em casa e no escritório vem trabalhar outras ocasiões, onde sabemos que poderemos ser uma oferta relevante", refere Pedro Gonçalves, diretor de marketing da Olá, para justificar a entrada nas aplicações digitais.

Atualmente cerca de 70% das vendas são feitas fora de casa (cafés, restaurantes e geladarias próprias) e é este o segmento com mais dinamismo. "Os portugueses têm passado mais tempo fora de casa, apesar do mau tempo no início deste ano, o que somado ao crescimento do número de turistas em Lisboa e Porto tem ajudado ao crescimento dos principais negócios que vivem da rua", remata o responsável da Olá, avançando que para este segmento está a ser preparada a abertura de uma loja Maison Carte D'Or no Chiado (Lisboa), onde cada cliente pode criar a sua própria sobremesa.

Pedro Gonçalves avança que o turismo tem sido também uma forma de ajudar a compensar a sazonalidade natural do negócio, embora seja necessário algum tempo para que esse impacto se sinta no negócio da Olá. "No ano passado, apenas um terço das vendas da Olá veio das grandes cidades, o que quer dizer que a nossa principal ocasião de consumo ainda está muito relacionada com as férias e a praia", argumenta.

Para contrabalançar esta situação, e além da presença em aplicações digitais de entrega em casa, a Olá aposta também em novos formatos, como por exemplo Magnum e Solero em copo, mais adequado ao consumo enquanto se vê televisão. O Solero é precisamente o gelado que vai estar no centro da estratégia da Olá este ano, com o lançamento do Solero Bio Pessêgo, que a marca está a posicionar para os consumidores interessados na origem biológica dos produtos. "O objetivo é ter em Solero uma marca de fruta com a força que Magnum tem em chocolate.

Por isso temos vindo a apostar em inovação e aumentámos consideravelmente o investimento em comunicação ", revela Pedro Gonçalves, avançando que este ano a ideia é aumentar o orçamento disponível para o Solero, que no passado ascendeu a €5 milhões, entre a criatividade e produção de anúncios, mais a compra de espaço nos meios de comunicação.

"Reforçar a oferta de gelados de fruta é uma das principais prioridades da Olá, não fosse essa uma das origens da marca e do famoso pregão “Olha o Olá fresquinho, é fruta ou chocolate”, recorda Pedro Gonçalves, salientado que nos últimos anos a aposta foi mais no chocolate, através do Magnum, que representa um terço das vendas totais da Olá e tem 98% de notoriedade.

É também nesta sub-marca que se encontra o gelado mais vendido (o Magnum amêndoas, com cinco milhões de unidades vendidas), bem como outra das apostas para este ano: a fadista Gisela João como embaixadora do novo Magnum Praliné. O objetivo desta ligação é associar o gelado à procura do prazer através da arte, neste caso, da música.

Quanto à retirada de venda do clássico Super Maxi, que criou uma onda de protestos nas redes sociais, o responsável da Olá revela que não será definitiva. "Estamos a preparar uma surpresa para os 60 anos da Olá, que se comemoram no próximo ano, com o relançamento de vários gelados históricos", refere Pedro Gonçalves, avançando que o regresso passar por uma modernização do gelado, para o tornar mais contemporâneo.