Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

Trump lança bolsas da Ásia e da Europa no vermelho

A ameaça de mais um pacote de taxas aduaneiras sobre produtos chineses por parte da Administração norte-americana provocou esta terça-feira uma derrocada na bolsa chinesa de Shenzhen e perdas generalizadas em todas as praças da Ásia e da Europa. PSI 20 recua apenas 0,25%. Futuros em Wall Street no vermelho

Jorge Nascimento Rodrigues

A nova ameaça de Donald Trump de mais um pacote protecionista em relação a importações chinesas e a retaliação já prometida por Pequim provocaram esta terça-feira um abalo nas bolsas asiáticas e empurraram para o vermelho a sessão da manhã na Europa.

As bolsas asiáticas fecharam esta terça-feira todas com quedas, com destaque para a bolsa chinesa de Shenzhen que afundou 5,3%. A bolsa de Xangai caiu 3,8%, a de Hong Kong recuou 2,8% e a de Tóquio perdeu 1,8%. A Ásia está há cinco sessões em terreno negativo. A China considerou a nova iniciativa de Trump como uma "extorsão".

Na Europa, a sessão da manhã está marcada por quedas com destaque para os índices Dax de Frankfurt e CAC 40 de Paris com perdas de mais de 1% pelas 11h30 (hora portuguesa). Os dois índices de referência europeia, o Eurostoxx 50 (das cinquenta principais cotadas da zona euro) e o Eurostoxx 600 (das seiscentas principais cotadas europeias), estão em queda de 1,1% e 0,7% respetivamente. Em Lisboa, o PSI 20, apesar de estar em linha com a trajetória negativa europeia, recua apenas 0,26%. A zona euro fechou as últimas duas sessões com perdas.

Os futuros em Wall Street estão a cair 1%, o que indicia uma abertura da sessão norte-americana em queda, agravando as perdas nas duas últimas sessões.