Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

Património mundial das grandes fortunas ultrapassa 70 biliões de dólares em 2017

Número de milionários aumentou em 1,6 milhões em termos globais, sobretudo devido ao impulso das regiões da Ásia-Pacífico e da América do Norte

O número de milionários mundiais cresceu em 2017 e o seu nível de riqueza aumentou pelo sexto ano consecutivo, ultrapassando pela primeira vez os 70 biliões de dólares (60,5 biliões de euros), segundo um estudo divulgado nesta terça-feira. Segundo o 'World Wealth Report 2018' da Capgemini, a melhoria da economia mundial impulsionou o crescimento do património das grandes fortunas que aumentou 10,6% no ano passado e ultrapassou pela primeira vez os 70 biliões de dólares (60,5 biliões de euros à taxa de câmbio atual), sendo o segundo ano de maior crescimento desde 2011.

O número de milionários (os chamados 'High Net Worth Individuals' -- HNWI) aumentou em 1,6 milhões em termos globais, sobretudo devido ao impulso das regiões da Ásia-Pacífico e da América do Norte, que representam 74,9% do crescimento mundial (1,2 milhões de novos milionários) e 68,88% de crescimento da riqueza/património dos mais ricos (4,6 mil milhões de dólares). Em 2017, a Europa apresentou um crescimento de 7,3% do volume da riqueza e património dos HNWI.

Os HNWI são os indivíduos com uma carteira de investimentos em ativos líquidos iguais ou superiores a 1 milhão de dólares, excluindo a sua principal habitação/residência, objetos de coleção, consumíveis e bens de consumo prolongado, explica a consultora.

No final do ano, os quatro mercados que apresentavam o maior número de ricos eram os Estados Unidos, o Japão, a Alemanha e a China, representando 61,2% da população mundial dos HNWI e 62% dos novos milionários mundiais.

O estudo da Capgemini evidencia a possível entrada das grandes multinacionais tecnológicas ('big tech') no setor da gestão de patrimónios, bem como o crescente interesse da população HNWI pelas criptomoedas que em janeiro de 2018 alcançaram o seu nível máximo de capitalização no mercado. De acordo com o estudo, o retorno dos investimentos dos milionários à escala mundial (ou seja, os ativos geridos pelas sociedades de gestão de patrimónios que administram 32,1% da riqueza dos HNWI) alcançaram um nível de crescimento de 27,4% em 2017.

Os níveis de rentabilidade alcançados em 2016 e 2017 não contribuíram, porém, para melhorar o nível de satisfação dos mais ricos com as sociedades gestoras já que os resultados do estudo sugerem que a rentabilidade não é suficiente para manter os negócios destas empresas.

O 'World Wealth Report' da Capgemini assenta nos resultados do estudo sobre as perspetivas e o comportamento dos indivíduos mais ricos do mundo, com base nas respostas de mais de 2.600 HNWI de 19 países nas regiões da América do Norte, América Latina, Europa e Ásia-Pacífico.