Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

Critical Software e BMW juntam-se para “construir o carro do futuro”

Gonçalo Quadros ainda aguarda luz verde da Autoridade da Concorrência em relação à Critical TechWorks

Mike Sergeant

Tecnológica portuguesa e grupo alemão criam nova empresa para unir competências na área da mobilidade e da engenharia de software, num investimento prevê a criação de postos de trabalho. A nova empresa, Critical TechWorks, aguarda luz verde Autoridade da Concorrência

No dia em que a Critical Software comemora 20 anos de existência, a tecnológica portuguesa e o grupo BMW anunciam uma joint-venture, a Critical TechWorks. A nova empresa vai ter sede e um centro de engenharia no Porto, mas terá também um centro de engenharia em Lisboa. E prevê a contratação de novos postos de trabalho na área da engenharia, embora o presidente da multinacional portuguesa não adiante números.

A operação ainda aguarda luz verde da Autoridade da Concorrência, cuja decisão deverá ser conhecida em julho. “Por esse motivo, não posso avançar já com números”, sublinha ao Expresso Gonçalo Quadros. “Mas posso assegurar que este é um projeto ambicioso e que queremos ser os líderes na revolução da mobilidade. Este é um momento semelhante ao que aconteceu no início da Critical Software, quando começámos a trabalhar com a NASA. É aquilo que chamamos um 'momento-catadupa', que pode levar a empresa para outra galáxia.”

O objetivo é juntar experiências no sentido de “construir o carro do futuro”, unindo competências na área da mobilidade e da engenharia de software embebida a bordo do veículo. “Vamos trabalhar em todo o software dentro dos carros da BMW e também na digitalização de processos corporativos”, explica ao Expresso o presidente da Critical Software, explicando que a componente de software é cada vez mais importante na mobilidade do futuro, nomeadamente ao nível de soluções que permitam que veículos comuniquem entre si.

Ao nível da digitalização de processos corporativos, as duas empresas vão trabalhar nos processos digitais que “ocorrem fora do carro”, como formas inteligentes de tirar partido dos serviços instalados e de construir plataformas de carsharing. Inteligência artificial, Big Data, serviços de carros partilhados, entre outros, são algumas das áreas em que a nova empresa se vai focar.

Questionado pelo Expresso sobre o valor do investimento e a repartição do capital entre as duas empresas, Gonçalo Quadros não concretiza. “Não posso referir ainda qual o investimento ou a partilha de capital, apenas que ambas as empresas têm uma parte substantiva dentro da nova empresa. Esta é uma partilha que se quer sólida.”

Para o responsável da Critical Software, o investimento da BMW em Portugal surge na sequência de uma parceria já existente entre as duas empresas. E resulta do facto de este ser um país onde “se desenvolvem projetos ambiciosos” na área da engenharia.

Notícia atualizada às 14h39