Siga-nos

Perfil

Expresso

O Expresso no Festival de Veneza

O outro Capote

Num Festival onde o cinema americano tem este ano uma fatia importante, «Infamous», realizado por Douglas McGrath, foi, para já, uma descoberta.

Dois filmes com a mesma história a serem produzidos praticamente em simultâneo em Hollywood é coisa nunca vista. Mas foi o que aconteceu com a história da escrita do romance «A Sangue Frio» pelo escritor Truman Capote.

O primeiro a ver a luz do dia – «Capote» – foi o êxito que se sabe e deu a Philip Seymour Hoffman o Óscar de Melhor Actor.

Congelado praticamente durante um ano, o outro filme – «Infamous», realizado por Douglas McGrath – emerge agora do limbo em Veneza, para uma carreira que, se houver alguma justiça nos mecanismos do público, só puderá suplantar a de «Capote».

Com efeito, «Infamous» vai seriamente mais longe, quer no olhar sobre a personalidade do escritor, quer no das suas relações com os criminosos, quer no sopro de tragédia que todo o caso acabou por ser. E o britânico Toby Jones é absolutamente fabuloso na recriação de Capote. Mais uma vez, se houver justiça, não poderá estar ausente pelo menos das próximas nomeações da Academia.

Num Festival onde o cinema americano tem este ano uma fatia importante, «Infamous» foi, para já, uma descoberta.