Siga-nos

Perfil

Expresso

Férias pagas

24 de Julho Albufeira-Paço de Arcos-Porto

Olá Cândida Ai, se eu fosse um homem rico teria uma casa com uma piscina de água salgada onde mergulharia depois de acordar, para dar umas braçadas -  talvez até nadar um quilómetro, para continuar a entrar e sair do meu Mini Clubman de 1974 sem a ajuda de terceiros -, antes de tomar o pequeno almoço, a olhar para o mar. Li algures que os portugueses sempre que se viram para mar fazem grandes cometimentos.

Esta manhã disfarcei-me de homem rico. Comecei a acordar na cama do quarto 338 e acabei algures entre o chuveiro e a água salgada da piscina redonda da encosta virada para o mar. Ainda meio molhado (culpa minha, não da toalha de turco cinzento, fornecida pelo Grande Real Santa Eulália, que era grande, de grande qualidade e obviamente «made in Portugal») tomei um pequeno-almoço de iogurte e frutas enquanto reflectia sobre os «bifes» – com aspas, ou seja os ingleses, não os bifes propriamente ditos.

A conclusão é clara, sem espinhas. Os nossos «bifes» são melhores do que os espanhóis.

Para constatar isso basta dar um passeio pela bifolândia, a rua dos restaurantes em Areias de S. João, em que nove em cada dez passeantes são «bifes». Os nossos «camones» têm, regra geral, um «look» civilizado e a maioria não sofre de excesso de peso. Não é difícil imaginar que alguns deles trabalhem em bancos de investimento ou agências de publicidade. As raparigas são giras e têm um bronzeado bonito, construído não só à custa de Sol mas também de muitos hidratantes e ofícios correlativos. Os namorados são simpáticos, não se metem com barafundas e trajam pólos de marca de tonalidades agradáveis.

Os «camones» da calle San Miguel, em Torremolinos, parecem personagens de uma sequela britânica do filme «Feios, Porcos e Maus», de Ettore Scola. Parecem grunhos e usam como farda a camisola da selecção inglesa, com os nomes Gerrard ou Rooney estampado nas costas. Elas têm excesso de superfície (peso a mais) que não camuflam com roupa, antes pelo contrário, deixando à vista uma pele com o mesmo aspecto de uma salsicha fresca, em que o branco lixívia se combina com um vermelho camarão.

Um horror!

Não é que os espanhóis os tratem mal. Se calhar tratam-nos melhor que nós. Em Benalmadena, vimos um carro de uma escola de condução que anunciava a oferta de lições de condução dadas em inglês. O diário andaluz Sur edita uma versão em língua alemã, o Sur Deutsche. Nos «estancos», a partir das nove da manhã já estão disponíveis todos os jornais britânicos do dia – que fazem uma impressão em Espanha para manter a clientela fidelizada.

Acho que a explicação para os melhores «camones» escolherem o Algarve tem a ver com o funcionamento normal do mercado. Como é mais caro e tem praias melhores atrai melhores turistas. Deve ser tão simples como isto.

Cansado por esta reflexão, fui ao quarto para fazer as malas e empreender a viagem de regresso. Ainda demos uma saltada a Faro, para comprar doces regionais algarvios numa fábrica da rua Brites de Almeida (90 cêntimos cada, eu não sou de doces, mas apreciei os de figo e os D. Rodrigos), antes de rumar a Norte.

O Nuno ficou no jornal em Paço de Arcos (anda entusiasmado porque quarta-feira vai de férias para Hamamet, na Tunísia) e eu continuei. Aproveitei a viagem solitária na A1 para elaborar um «Top Ten» provisório desta viagem de 3.127 quilómetros (feita à velocidade média de 87 km/hora, consumo médio 7,7 litros de gasóleo aos 100 quilómetros), que durou nove dias e oito noites, entre a Costa del Sol e o Algarve,  e tinha como objectivo apurar qual é o melhor lado do Guadiana para fazer férias de Verão.

Top Ten

1. A ventoinha telecomandada do quarto do Gran Hotel Elba Estepona

2. A Plaza de las Flores, em Estepona

3. A vertiginosa vista da Puente Nova, de Ronda

4. O robalo grelhado do Carlos Beach, na praia Grande, em Pêra

5. A praia dos Aveiros, nas Areias de S. João (Albufeira)

6. A vista da varanda do quarto no Gran Hotel Elba Estepona

7. O Largo da Sé, em Faro

8. A Bodega El Pimpi, em Málaga

9.  O Museu Picasso, em Málaga

10. A piscina da água salgada do Grande Real Santa Eulália?

Suplentes:

11. A marisqueira La Chacha, em Torremolinos

12. A Plaza de los Naranjos, em Marbella

13. A Ema, empregada do Joshua Shoarma do Fórum Algarve

14. A bandeja com espetadas de pedacinhos de melão e ananás que circulou no domingo à tarde pelas piscinas do Grande Real Santa Eulália

Um beijo

P.S. Achei o máximo ver os GNR aos pares a fazerem patrulhas em Albufeira. Muito modernos! Acho que o Rui Reininho adoraria vê-los. Até podia copiar a fardamenta…