Siga-nos

Perfil

Expresso

Cavaco em Espanha

"Faremos todos os possíveis"

"Portugal está num ponto de viragem em que deixou de ser competitivo ter mão-de-obra barata", afirmou esta manhã o ministro da Economia, a propósito do encerramento anunciado da Johnson Controls.

O Ministro da Economia, Manuel Pinho, comentou esta manhã a intenção da Johnson Controls de transferir para Espanha as unidades de Nelas e Portalegre. À margem da visita de Estado de Cavaco Silva ao Reino de Espanha, o ministro garantiu que “tanto a API (Agência Portuguesa para o Investimento) como o secretário de Estado da Indústria estão a acompanhar esta situação de muito perto”.

A administração da Johnson Controls anunciou ontem (terça-feira) o encerramento, até Agosto de 2007, das duas fábricas de interiores de automóveis localizadas em Nelas e Portalegre. Em causa estão quase 900 postos de trabalho.

Manuel Pinho assegurou também que o Governo fará “todos os possíveis para manter este investimento em Portugal. Têm de compreender que o nosso país está num ponto de viragem em que deixou de ser competitivo ter mão-de-obra barata. Quando um sector explora, sobretudo, mão-de-obra barata, há maiores riscos de deslocalização, por exemplo, para o Leste Europeu”.

Questionado sobre a possibilidade de novas deslocalizações de investimentos, Manuel Pinho admitiu que estas situações poderão voltar a acontecer. “A economia é um processo contínuo em que muitas empresas nascem e outras ficam para trás”, afirmou o Ministro da Economia.

Pinho volta a falhar agenda de Cavaco

Depois de ter estado ausente da sessão solene em honra do Presidente da República, nas Cortes espanholas, o ministro da Economia faltou esta manhã a um pequeno-almoço na delegação da Caixa Geral de Depósitos em Madrid.

Cavaco Silva visitou a delegação local da CGD na capital espanhola por considerar que o banco tem um papel fundamental na internacionalização das empresas portuguesas. As ausências de Manuel Pinho, soube o EXPRESSO, foram muito notadas e caíram mal entre a comitiva.