Siga-nos

Perfil

Expresso

Orçamento do Estado 2011

PSD: Governo não apresenta uma estratégia

O presidente do PSD, Pedro Passos Coelho, acusou o Governo de ter lançado "um conjunto de medidas desconexas", sem apresentar uma estratégia para promover o crescimento económico e o emprego.Clique para visitar o dossiê Orçamento do Estado 2011 

"Quando era necessário apresentar uma estratégia que fosse mobilizadora para o futuro, o país acorda com um conjunto de medidas desconexas", declarou Pedro Passos Coelho, numa conferência sobre a revisão do programa do PSD, em Lisboa.  

Clique para aceder ao índice do dossiê Orçamento do Estado 2011   Segundo o presidente do PSD, o Governo anunciou novas medidas de austeridade "um bocado a esmo, como quem dita mais um plano de choque para o país, sem a preocupação de apresentar uma estratégia de crescimento para a economia, sem apresentar uma estratégia para o emprego".     De acordo com Pedro Passos Coelho, "só se vê como objetivo", nas medidas anunciadas pelo Governo, "corrigir uma situação de desastre económico e financeiro que foi criada pela inconsciência daqueles" que governam "de há muitos anos a esta parte". 

Meta de Bruxelas para redução do défice 

O presidente do PSD referiu que a União Europeia deu quatro anos aos seus Estados-membros para reduzirem os respetivos défices e consolidarem as despesas e considerou: "Estes quatro anos que nos deram, nós estamos a desbaratá-los."     No entender de Passos Coelho, "o país está atordoado e não percebe o que se passa, tal tem sido, já não é o choque tecnológico, é o choque brutal com que vem sendo acordado para a realidade, que foi ocultada durante demasiado tempo e com tanta incompetência".      O líder do PSD reclama que quer "fazer as coisas de outra maneira". E acrescentou: "Se defendemos uma mudança na sociedade portuguesa não é para reeditarmos esta maneira de lidar com o país e com as pessoas, como se elas fossem simples instrumentos obedientes de uma estratégia cega ou mal pensada."