Siga-nos

Perfil

Expresso

Euro em crise

Euro: Suécia "não exclui" participar no fundo de emergência

"Eu estou pronto a considerar todas as opções que reforcem os recursos financeiros comuns", afirmou o ministro das Finanças sueco. Clique para visitar o dossiê Euro em crise

O ministro das Finanças sueco, Anders Borg, afirmou hoje que a Suécia "não exclui" a participação no fundo de ajuda financeira de emergência aos países da zona euro, apesar de o país não fazer parte desta região monetária.

Clique para aceder ao índice do DOSSIÊ EURO EM CRISE

"Eu estou pronto a considerar todas as opções que reforcem os recursos financeiros comuns", disse à imprensa ao chegar à reunião que manterá com os seus congéneres europeus em Bruxelas.

Ao contrário da Suécia, o Reino Unido já declarou que não vai apoiar financeiramente este fundo, tendo o ministro das Finanças britânico, Alistair Darling, garantido que a sua posição "é de recusa".

Anders Borg disse também que considera, antes de tudo, que se trata de um "problema do Eurogrupo. Foram os países do Europgrupo que criaram este problema. E é bastante claro que os contribuintes não vão pagar pelos gregos (...) Está na hora de pôr a questão", salientou.

No entanto, frisou que há necessidade de ter recursos para financiar a turbulência que está a ser causada pelos mercados.

Para o Governo britânico, a situação é clara: "Se há uma proposta para se criar um fundo de estabilização para o euro, a responsabilidade deve ser dos países do Eurogrupo".

Os ministros das Finanças dos 27 países da União Europeia estão hoje à tarde reunidos para discutir o projeto de criação de um "Fundo de Estabilização para a zona euro".

Este texto foi escrito ao abrigo do novo Acordo Ortográfico

Clique para ler a Nota da Direcção do Expresso sobre o novo Acordo Ortográfico.