Siga-nos

Perfil

Expresso

50 Anos do Tratado de Roma

Todos os caminhos vão dar a Berlim

Uma manifestção contra a Europa e uma "conferência alternativa" marcarão também o dia oficial das celebrações do 50.º aniversário dos Tratados de Roma.

Nem só de festejos e celebrações euro-entusiastas será marcado este fim-de-semana em Berlim, dedicado ao 50.º aniversário da União Europeia.

O momento alto dos protestos terá lugar no domingo, com a realização de numa manifestação "Contra a Europa do Capital". Convocada por quatro dezenas de organizações de extrema-esquerda, anarquistas e pacifistas, os organizadores dizem esperar reunir cerca de cinco mil pessoas.

Inicialmente pretendiam caminhar desde a Alexanderplatz até às Portas de Brandenburgo, onde decorrem os festejos oficiais, mas a polícia já anunciou que proibirá o desfile de se aproximar deste local. Mario Sperling, um dos porta-vozes da organização do protesto, afirmou em declarações ao Expresso que os manifestantes "não vão desafiar" esta decisão.

Várias organizações de maior influência à esquerda optaram por não se associar a esta manifestação, como por exemplo os ex-comunistas do PDS ou a ATTAC. Sven Giegold, um dos líderes desta organização, explicou a decisão ao Expresso por considerar que se trata de uma mobilização efectuada por grupos "sectários" e "contra a União Europeia", posição com a qual diz não se identificar.

Na capital alemã decorre ainda uma conferência alternativa, intitulada "Não sem o Povo". O evento conta com a participação de eurodeputados socialistas holandeses, conservadores britânicos e verdes irlandeses, pretendendo denunciar o que considera ser o alheamento dos líderes da União às expectativas dos cidadãos.