Siga-nos

Perfil

Expresso

Caos na Independente

Alunos da Independente pedem ajuda ao Governo

Depois da demissão da direcção executiva e académica da Universidade Independente, os estudantes temem agora o encerramento do estabelecimento sem que os cursos sejam reconhecidos.

O presidente da associação de estudantes da Universidade Independente (UNI), Hermínio Brioso, espera ser recebido hoje pelo reitor, Luiz Arouca. A associação de estudantes decidiu também pedir ajuda ao Ministério da Educação para enfrentar a grave crise que o estabelecimento está a passar, em consequência da investigação da Procuradoria-Geral da República.

Com o reinício das aulas, por enquanto suspensas, marcadas para a próxima segunda-feira e sem terem recebido qualquer explicação por parte da direcção, os alunos tentam lutar pelos seus direitos. De acordo com a agência Lusa, Hermínio Brioso quer que se crie uma comissão gestora da universidade com representantes dos alunos e corpo docente: “vamos pedir ao ministério da Educação a criação uma comissão gestora com representantes dos vários grupos da universidade e, eventualmente, com um representante do ministério da educação”. O líder universitário assegura ainda que os estudantes vão pedir “com carácter de urgência”, uma audiência ao Procurador-Geral da República, Pinto Monteiro, alegando estar em causa “matérias que passam por ele”.

Manifestação na calha

Os alunos pretendem igualmente ser recebidos pelos grupos parlamentares, em mais uma tentativa de fazer pressão sobre o Governo, para que este tome medidas em relação à crise na UNI.

O presidente da associação de estudantes não esconde que os alunos estão “profundamente preocupados” com a sobrevivência da universidade e que foi criada uma linha telefónica de emergência para ouvir as suas queixas.
Hermínio Brioso confirma ainda que tem havido sugestões por parte dos estudantes para se realizar uma manifestação. Hipótese que Brioso garante estar “em cima da mesa”.