Siga-nos

Perfil

Expresso

Reunião anual do FMI/Banco Mundial

G7 preocupado com fundos de investimento controlados por governos

Os membros do grupo dos países mais industrializados querem mais transparência e pretendem dialogar com os principais "players" nesta área. São países como a Arábia Saudita, a China ou a Rússia que causam maior desconfiança.

João Silvestre, em Washington

Os responsáveis do G7 querem mais transparência, não-discriminação e previsibilidade na gestão dos "sovereign wealth funds" - fundos de investimento controlados por governos. Na mira dos membros do grupo dos países mais industrializados, que ontem se reuniu, estão principalmente os fundos vindos de países como a Rússia, a Arábia Saudita ou a China que usam, de forma estratégica e não meramente financeira, os excedentes que vão acumulando em moeda estrangeira.

"Temos que estar vigilantes, se começarem a ter cada vez maior importância na economia global têm que ser mais transparentes", avisa o secretário do Tesouro dos EUA, Henry Paulson.

Além desta questão e da crise do "subprime", que foi a estrela maior do encontro, também a conclusão da Ronda de Doha da Organização Mundial do Comércio, a questão das quotas no Fundo Monetário Internacional e as oscilações cambiais estiveram na agenda. Neste último ponto, a necessidade de apreciação da moeda chinesa continua a ser o tema dominante.