Siga-nos

Perfil

Expresso

Dias decisivos no BCP

Pinhal diz que teve "missão espinhosa"

Na hora da despedida, o presidente cessante do BCP disse que "houve dias de muito sofrimento".

I.V./M.C./P.L

O presidente cessante do BCP, Filipe Pinhal, fez questão de deixar claro, no final da Assembleia Geral, que a missão da administração que liderou desde Setembro foi "espinhosa" devido aos problemas existentes no banco.

"Foi muito difícil e houve mesmo dias de muito sofrimento", disse aos accionistas. "Cada um sentiu de algum modo a mágoa e algum sentimento de injustiça ou desencanto".

"O novo conselho de administração tem agora a missão de consolidar a unidade do banco", acrescentou. Lembrando que houve votações muito divididas, como o caso da votação para o Conselho de Remunerações e Previdência, mas que houve pontos que foram aprovados por mais de 80% do capital, referiu que "no interesse do banco, é preciso olhar agora para os pontos que unem e não para os que separam".