Siga-nos

Perfil

Expresso

Mundial - 2010

Três suspeitos detidos em Magaliesburgo

Polícia sul-africana anunciou em conferência de imprensa a detenção de três suspeitos e a recuperação de algum material roubado. O policiamento na zona foi aumentado, mas apenas temporariamente. Clique para aceder ao dossiê Mundial-2010

Rui Gustavo, enviado à África do Sul (www.expresso.pt)

O brigadeiro Mário Mutu, da polícia sul-africana, anunciou hoje, em conferência de imprensa, a detenção de três suspeitos com idades compreendidas entre 30 e 40 anos e a recuperação de algum do material roubado aos jornalistas portugueses, nomeadamente um passaporte, telemóveis e outros objectos pessoais.

Os dois primeiros suspeitos foram detidos às oito da noite de ontem, quarta-feira, num controle de estrada em Hekpoort, nos arredores de Magaslisburgo. Estavam a bordo de um carro roubado e por isso foram mandados parar. Estavam na posse de algum do material roubado. Um é nigeriano e outro zimbabueano e têm 28 e 21 anos.

O terceiro suspeito foi detido esta manhã, em Brtiz, num bairro da lata a 50 quilómetros de Magalisburgo. Tinha toda a roupa roubada ao jornalista espanhol Miguel Serrano. O material recuperado já foi entregue às vítimas, mas ainda há muita coisa por recuperar.

A polícia sul-africana não nega nem confirma o alegado envolvimento de pessoal do hotel no assalto. "A investigação ainda está a decorrer e não pomos de parte a detenção de mais suspeitos", disse Mário Mutu.

Quanto ao facto de nenhuma das vítimas ter sido chamada para identificar os suspeitos, o brigadeiro explicou que isso será feito nas próximas horas. De qualquer forma, acrescentou que "há outros meios de prova".

A polícia não revelou se a arma do crime, que foi apontada ao jornalista António Simões, foi apreendida. 

"Não se pode pôr um polícia em cada hotel"

O policiamento foi aumentado na zona, mas apenas de forma temporária, porque "não se pode pôr um polícia em cada hotel", disse Mutu.

Os 11 hotéis onde estão hospedados os jornalistas portugueses a acompanhar a competição não têm policiamento 24 horas por dia. O hotel Nutbush contratou, após o assalto, três seguranças.

Este foi o primeiro roubo na unidade hoteleira de Nutbush em 15 anos, de acordo com os responsáveis. Apesar do assalto os jornalistas permanecem no mesmo hotel, uma vez que a única alternativa disponível é em Pretória, a mais de 1h30 do local onde estagia a selecção portuguesa.

As autoridades anunciaram também a disponibilização de escoltas aos jornalistas para se deslocarem pela cidade à noite.