Siga-nos

Perfil

Expresso

Mundial - 2010

Reencontro luso-brasileiro 44 anos depois

No Mundial de 1966, Portugal de Eusébio derrotou Brasil de Pelé por 3-1. Mais recentemente, num amigável em 2008, o "escrete" goleou os portugueses por 6-2. Clique para visitar o dossiê Mundial-2010

Portugal vai reencontrar sexta feira o velho conhecido Brasil, na última jornada do Grupo G do Mundial2010, quase 44 anos depois de Eusébio e companhia terem derrotado o "escrete" de Pelé, então bicampeã em título. 

Depois da goleada imposta à Coreia do Norte, por 7-0, Portugal, praticamente apurado, defronta o Brasil, com quem sofreu a última derrota, a 19 de novembro de 2008, por 6-2, em Brasília. 

Desde então, Portugal soma 18 encontros sem conhecer o sabor da derrota, sendo que não sofre golos há sete encontros oficiais, o que representa um recorde. 

Portugal e Brasil apenas se encontraram uma vez em jogos oficiais, em 1966, em Inglaterra, com a equipa das "quinas" a chegar ao terceiro lugar do Mundial, depois de derrotar o conjunto de Pelé, por 3-1, na fase de grupos.

Só um pontinho para cada uma

Contudo, no confronto direto com Portugal, a seleção "canarinha" leva clara vantagem, tendo vencido 12 dos 18 encontros realizados, 17 dos quais de carácter particular. 

Antes do encontro de Brasília, os confrontos no século XXI eram favoráveis a Portugal, com dois triunfos e um empate. 

O Brasil chega a este encontro já apurado para a fase seguinte, enquanto Portugal, na segunda posição, está praticamente qualificado, depois de ter conseguido a sua maior goleada de sempre em fases finais. 

Com seis pontos, o Brasil precisa de apenas mais um para garantir o primeiro lugar no Grupo G, enquanto a equipa lusa também só necessita de um para garantir os oitavos de final. 

Portugal até pode perder com o Brasil, desde que a diferença de golos de um possível desaire somada à diferença de tentos num triunfo da Costa do Marfim sobre a Coreia do Norte não atinja os nove. 

Evitar a Espanha

Assim, um dos jogos mais aguardados da primeira fase da competição, e um dos primeiros a esgotar a venda de bilhetes, está um pouco esvaziado no seu interesse. 

A grande baixa do encontro será Kaká, expulso frente à Costa do Marfim, mas ambas as equipas poderão fazer descansar jogadores, já a pensar na fase seguinte, que se jogará três ou quatro dias depois. 

O interesse das duas equipas estará mais centrada em dois jogos que se disputam algumas horas mais tarde e que finalizarão o Grupo H, com Portugal e Brasil e quererem, provavelmente, evitar a Espanha. 

*** Este texto foi escrito ao abrigo do novo Acordo Ortográfico ***

Clique para ler a Nota da Direcção do Expresso sobre o novo Acordo Ortográfico.