Siga-nos

Perfil

Expresso

Mundial - 2010

Organização do Mundial desvaloriza assaltos

O comité organizador do Mundial da África do Sul remeteu para a polícia qualquer informação relacionada com o assalto e diz que não é nada que seja preocupante. Clique para aceder ao dossiê Mundial-2010

O comité organizador do Mundial de futebol da África do Sul remeteu para a polícia qualquer informação relacionada com assalto cometido na madrugada de hoje no hotel de Magaliesburgo, no qual estão alojados jornalistas portugueses e espanhóis. 

Clique para aceder ao índice do Dossiê Mundial-2010

"Recebemos informação sobre esse presumível assalto e estamos à espera de informação policial. Não temos dados sobre o assunto", afirmou o diretor de comunicação da FIFA, Nicolas Maingot. 

O incidente, que afetou dois jornalistas portugueses e um espanhol, parece não ter suscitado qualquer preocupação na FIFA e no comité organizador, cujo diretor de comunicação, Rich Mkhondo, afirmou que, a dois dias do começo da competição, tudo está bem. 

"Não há nada que nos preocupe e tudo o que desejamos é que o torneio comece. Estamos satisfeitos, depois de tantos anos de preparativos em colaboração com as autoridades sul-africanas. Agora o que queremos é desfrutar dos jogos", sublinhou Maingot. 

O que preocupa são... os engarrafamentos

O comité organizador não está preocupado com questões de segurança. "O que nos preocupa são os possíveis engarrafamentos para o jogo inaugural. Pedimos às pessoas que não utilizem carro e cheguem ao estádio duas horas antes, usando os transportes públicos", afirmou Mkhondo. 

Dois jornalistas portugueses, do Expresso e da Global Imagens, e um espanhol, da Marca, foram hoje assaltados por homens armados, mas estão bem. 

Os jornalistas dormiam no complexo de casas de campo Nutbush quando foram surpreendidos pelos assaltantes, que cometeram o furto cerca das 04:00.

Material fotográfico, passaportes, credenciais do Mundial2010 e roupa foi o principal material roubado: apesar do risco e gravidade da situação, os profissionais em causa não foram vítimas de violência física. 

Entretanto, a polícia sul-africana anunciou ter detido um dos suspeitos do assalto, que terá sido detetado através do sinal de um telemóvel roubado durante o assalto. 

*** Este texto foi escrito ao abrigo do novo Acordo Ortográfico ***

Clique para ler a Nota da Direcção do Expresso sobre o novo Acordo Ortográfico.