Siga-nos

Perfil

Expresso

Mundial - 2010

Mundial 2010: Actualização permanente (25 de Junho)

José Manuel Ribeiro/Reuters

Actualização permanente: principais notícias Lusa de hoje sobre o Mundial. Clique para aceder ao índice do Dossiê Mundial-2010

13h20 - Portugal com três surpresas frente ao Brasil

Portugal vai alinhar com a seguinte equipa frente ao Brasil: Eduardo; Ricardo Costa, Bruno Alves, Ricardo Carvalho e Fábio Coentrão; Pepe, Raul Meireles e Tiago; Danny, Cristiano Ronaldo e Duda.

Carlos Queiroz fez algumas alterações em relação ao onze que goleou a Coreia do Norte. Assim, Ricardo Costa entra para o lugar de Miguel na defesa e Pepe estreia-se no Mundial no lugar de Pedro Mendes. Simão Sabrosa e Hugo Almeida dão o lugar a Danny e Duda e Cristiano Ronaldo deve jogar no lugar do ponta-de-lança.

--------------------------------------------------------------------

11h42 - Pais de Pepe e Deco torcem por Portugal, mas apostam no Brasil

Os pais dos internacionais Pepe e Deco vão estar hoje a apoiar os filhos no jogo de Portugal contra o Brasil, do Mundial de futebol da África do Sul, apesar de não apostarem na vitória lusa.

Pepe e Deco, que se destacaram no futebol português ao jogar pelo FC Porto, com o qual foram campeões, optaram por naturalizar-se portugueses para poderem ser opção para o então selecionador, o brasileiro Luiz Felipe Scolari.

"Felipão" chegou mesmo a contar com os jogadores, primeiro com Deco e depois com Pepe, enquanto Liedson, o terceiro naturalizado a jogador por Portugal no presente mundial, já chegou na "era" Queiroz.

"Sou brasileiro e sei que a infância do Pepe foi toda aqui no Brasil. Mas sou mais pela minha família. Vou torcer pelo Pepe, claro. Com o meu filho a jogar, tenho de torcer por Portugal. Mas, em qualquer outro jogo, sou Brasil, claro", disse Anael Ferreira, pai do defesa central do Real Madrid.

Apesar de apoiar o filho no confronto de hoje, Anael Ferreira apostou na seleção canarinha: "A equipa do Brasil joga demais, é uma grande equipa. Coloquei 2-1 para o Brasil numa aposta em que estou a participar".

Já o pai de Deco avançou ao site da Internet do jornal A Folha (Estado de São Paulo) que se sentirá realizado se as duas equipas seguirem para os oitavos de final, mas também tem dificuldade em apostar numa derrota dos brasileiros.

"Eu não tenho hábito (de apostar), mas arriscaria um placar de 1-1 ou 2-2. Torço para o Brasil, mas nesse jogo um pouco mais para Portugal. Torcemos para onde o nosso filho está. Mas estou torcendo para que passem os dois", disse Ozías Souza, pai de Deco.

Mas os dois jogadores, outrora titulares absolutos na equipa do selecionador Carlos Queiroz, poderão não jogar hoje.

Deco, que foi titular no primeiro jogo de Portugal frente à Costa do Marfim (0-0), deve ficar de fora devido a uma lesão na anca.

Já Pepe, ainda poderá ser opção para o selecionador, apesar de ter passado os últimos seis meses praticamente sem jogar devido a uma lesão no joelho, uma vez que Queiroz poderá querer dar minutos ao seu defesa central.

--------------------------------------------------------------------

7h30 - Portugal joga finalmente ao sol

Portugal realiza hoje o seu primeiro jogo sem chuva no Mundial2010 de futebol, pois Durban despertou com Sol e calor para receber o desafio mais aguardado do "grupo da morte" (Grupo G).

Depois da precipitação que marcou os encontros com Costa do Marfim (Port Elizabeth) e Coreia do Norte (Cidade do Cabo), os "navegadores" chegaram ao fim da primeira fase a discutir o primeiro lugar no grupo com o Brasil na solarenga Durban, na zona austral do continente, onde o escritor português Fernando Pessoa viveu quase dez anos.

Os pupilos de Carlos Queiroz têm trabalhado em Magaliesburgo, onde o frio aperta à noite e pelas manhãs, mas para defrontar o "escrete" abandonaram o inverno da zona de Joanesburgo para jogar sob o calor de Durban, onde hoje está prevista uma temperatura máxima de 25 graus Celsius.

O arquitetonicamente belo estádio Moses Mabhida, que vai encher pela primeira vez no Mundial2010, vai ser o palco do desafio luso-brasileiro, uma das primeiras partidas a esgotar a lotação.

Ao início da manhã, a turística marginal de Durban - onde foi instalado um "fan park" com transmissão dos jogos em ecrã gigante - ainda "dormia": os comerciantes começavam, lentamente, a montar as bancas, desportistas faziam jogging, mas os adeptos ainda repousavam, alguns depois de uma noite longa.

Na zona da Rua Florida, onde há a maior concentração de bares e restaurantes da noite de Durban, a festa e convívio duraram até altas horas, alimentadas pela alegria contagiante de brasileiros e portugueses.

Ao contrário do que aconteceu com a Costa do Marfim e a Coreia do Norte, Portugal vai ter dificuldades para estar em maioria nas bancadas do estádio, já que os brasileiros invadiram verdadeiramente Durban.

Portugal e Brasil (já apurado) disputam o primeiro lugar no grupo G: os lusos têm três pontos e nove golos de vantagem sobre a Costa do Marfim, pelo que só uma catástrofe os eliminaria dos oitavos de final.

As equipas defrontam-se às 16h00 locais (15h00 em Lisboa).

--------------------------------------------------------------------

7h18 - Pai de Bruno Alves vai torcer por Portugal

 

O antigo futebolista brasileiro Washington, pai de Bruno Alves, nem hesita em dar o seu apoio à seleção lusa no confronto de hoje frente à "canarinha", da terceira jornada do Grupo G do Mundial de 2010.

"Não tenho dúvida nenhuma... tenho um filho que joga na seleção portuguesa. É meu filho, vou torcer por ele. Ele joga na seleção portuguesa, logo vou torcer por Portugal. Sempre que Portugal não estiver a disputar nada, vou torcer pelo Brasil, só assim", assegurou à Agência Lusa Washington.

Depois da goleada à Coreia do Norte por 7-0, a equipa das "quinas" defronta o Brasil, que lidera a "poule", mas, para Washington, não foi este resultado recente que lhe conferiu otimismo.

"Na minha ótica, não é mais favorito agora ou era menos antes. Eu penso que o maior adversário de Portugal são os portugueses, mais aqueles que trabalham nos media, que, normalmente, derrotam todo o Mundo, jogadores e treinadores. Isso é dar trunfos ao adversário", explicou.

Apelando à "união" em volta da seleção lusa, Washington espera que seja dado tempo para que os resultados apareçam.

"A partir do momento em que os jogadores foram selecionados, temos de apoiá-los. Depois, quando não fizerem, então critiquem. Agora, não podem é deixar Portugal num clima de terrorismo, do jeito que está (...) eu sei das limitações da capacidade de Portugal, mas acredito que os jogadores vão fazer tudo o que puderem", frisou.

Segundo Washington, com a passagem aos oitavos de final praticamente garantida, a seleção portuguesa tem tendência a melhorar.

"Assim que os obstáculos vão sendo ultrapassados, a equipa vai ficando mais convicta, fortalecida e, cada dia que passa, os jogadores vão acreditando que podem ultrapassar barreiras impossíveis", concluiu.

Portugal defronta hoje o Brasil, a partir das 16h00 locais (15h00 em Lisboa), em Durban, ao mesmo tempo que a já afastada Coreia do Norte defronta a Costa do Marfim, em Nelspruit.

--------------------------------------------------------------------

6h32 - "Irmãos" Portugal e Brasil e Espanha e Chile definem posições

Os "irmãos" da Língua de Camões, Brasil e Portugal, e os "castelhanos" Espanha e Chile definem hoje o seu futuro no Mundial de futebol África do Sul2010, na terceira e última ronda dos respetivos Grupo G e H.

Com os brasileiros já qualificados e a "seleção das quinas" confortada pela goleada (7-0) à Coreia do Norte, a Costa do Marfim precisa de um "milagre", diante dos asiáticos, para fazer companhia ao Gana como segunda equipa africana apurada para os oitavos de final.

Portugal, que pode seguir em frente com uma derrota graças aos tentos já apontados, joga o posicionamento nos dois primeiros postos com o "escrete canarinho", a partir das 15h00 (de Lisboa), em Durban, enquanto os "elefantes" esperam a derrota portuguesa e uma goleada das antigas frente à Coreia do Norte, em Nelspruit.

Mais tarde, pelas 19:30, em Pretória, a campeã europeia, Espanha, tem de vencer o Chile, líder da "poule" H ao bater (1-0) Honduras e Suíça, para garantir a fase seguinte sem olhar ao resultado entre helvéticos e centro-americanos.

A Suíça, com os mesmos três pontos que a equipa "roja", bate-se com as Honduras, também ainda a alimentar esperanças "matemáticas" de estar entre os 16 "sobreviventes", em Bloemfontein.

Os primeiros classificados de ambos os agrupamentos defrontam depois os segundos posicionados, segunda e terça feira, nos oitavos de final.

Se Portugal alcançar o primeiro posto do Grupo G, vai bater-se com o segundo classificado do Grupo H, segunda feira, pelas 19h30 (de Lisboa), em Joanesburgo.

Se os comandados de Carlos Queiroz ficarem no segundo posto da "poule" G vão defrontar o líder do Grupo H, terça feira, pelas 19h30, na Cidade do Cabo.

--------------------------------------------------------------------

5h29 - Jogadores da Nova Zelândia vão ser recebidos em casa como "heróis"

 

O primeiro-ministro da Nova Zelândia afirmou hoje que receberá como "heróis" os jogadores da seleção de futebol que terminaram a primeira fase do mundial sem derrotas, apesar de não terem garantido a passagem à segunda fase.

Depois de empatarem quinta-feira com o Paraguai a zero bolas, os neozelandeses terminaram a fase de grupos com três pontos de outros tantos empates já que tinham obtido outras igualdades, a uma bola, com a Itália e com a Eslováquia.

O Paraguai garantiu com o empate de quinta-feira a passagem à segunda fase com cinco pontos, seguido da formação da Eslováquia com quatro pontos depois de uma vitória por 3-2 sobre a Itália que foi afastada da competição logo na fase de grupos.

"Vão regressar à Nova Zelândia como heróis e na minha opinião foi uma árdua tarefa o que conseguiram apesar de não se terem qualificado, mas estamos orgulhosos do resultado", afirmou John Key à rádio "New Zealand".

"Deram tudo, estiveram à altura de um grande Paraguai e igualmente defrontaram a Eslováquia e a Itália e mostraram que são uma equipa com coragem, que joga pelo conjunto e estão disciplinados", concluiu.

--------------------------------------------------------------------

 

00h03 -Eriksson admite que é "muito improvável" recuperar nove golos

O selecionador da Costa do Marfim, o sueco Sven-Goran Eriksson, quer tentar recuperar a desvantagem de nove golos em relação a Portugal no grupo G do Mundial2010 de futebol, embora admita que será uma tarefa "muito improvável".

Na véspera do encontro com a Coreia do Norte, em Nelspruit, referente à terceira jornada do Grupo D, Eriksson garantiu que não vai fazer alterações profundas na equipa e que até espera um novo desaire dos asiáticos, goleados por Portugal (7-0) na segunda jornada.

"Vamos fazer alterações na composição da equipa, mas não uma revolução", afirmou o selecionador da Costa do Marfim, acrescentando: "Não nos vamos lançar como loucos no ataque e gastar as nossas forças no ataque".

Eriksson pede, sobretudo, para que os seus jogadores sejam "disciplinados" e que "defendam bem": "Vamos tentar desenvolver o nosso jogo e, evidentemente tentar atacar. Será extremamente difícil, não posso simplesmente dizer aos meus jogadores: vá, entrem e marquem oito ou nove golos. Vamos simplesmente tentar fazer o nosso melhor. É muito improvável, mas vamos tentar".

O Brasil, que comanda a "poule" com seis pontos, mais dois que Portugal, tem o apuramento garantido e até pode perder o último encontro, frente aos "navegadores" lusos.

A turma das "quinas" está em boa posição para se qualificar graças à vantagem na relação entre golos marcados e sofridos (+7 contra -2 dos marfinenses), enquanto a equipa africana tem apenas um ponto e os norte-coreanos nenhum.

Em relação a Didier Drogba, o avançado marfinense que jogou frente a Portugal e Brasil apesar de uma recente fratura do cúbito, Eriksson adiantou que será titular no jogo com a Coreia do Norte.

"Ele será titular amanhã (sexta feira) de certeza. Ele está cada vez melhor. Marcou um golo contra o Brasil e quase fazia um segundo. Hoje treinou muito bem. Vai ser importante para nós no jogo com a Coreia do Norte", explicou.

O sueco respondeu ainda com uma enorme incógnita à pergunta sobre que tipo de seleção norte-coreana espera defrontar sexta feira: se a equipa coesa que perdeu tangencialmente com o Brasil (2-1) ou a que foi cilindrada por Portugal (7-0).

"Penso que estiveram muito organizados frente ao Brasil e nos primeiros 45 minutos contra Portugal. Depois não sei o que aconteceu nos segundos 45. Eles têm bons jogadores, o número 9 (Jong Tae-Se) e o 10 (Hong Yong-Jo), muito agressivos e que corem muito. Mas, não sei como estarão, depois dos 7-0 com Portugal", disse.

 

--------------------------------------------------------------------

Costa do Marfim precisa de vencer e do milagre da multiplicação dos golos

Com o Brasil qualificado e Portugal à boleia da goleada (7-0) frente à Coreia do Norte, a Costa do Marfim precisa de um golpe de teatro para sonhar com os "oitavos" do

Mundial de futebol.

À entrada para a última jornada do grupo G só um cenário catastrófico poderá tirar a qualificação a Portugal, mesmo que a equipa de Queiroz perca e a Costa do Marfim ganhe e terminem as duas em igualdade pontual.

O que separa as duas equipas, em caso de igualdade, são os golos, uma enormidade deles: com sete positivos para Portugal, contra dois negativos para os marfinenses, face à derrota por 3-1 com o Brasil.

Qualquer hipótese de qualificação da equipa africana treinada pelo sueco Sven-Goran Eriksson passa por uma conjugação de fatores. Esperar a derrota de Portugal com o Brasil e, depois disso, fazer sempre contas em números "altos".

Será necessário que a Costa do Marfim vença por muitos e não se limite a esperar que seja o Brasil a fazer esse papel com Portugal, face aos factores de desempate. A questão é que a equipa africana precisa de superar uma diferença de oito golos.

Em igualdade de "goal average", os marfinenses, liderados por Didier Drogba, não podem esperar que Portugal seja goleado, porque, num cenário assim, apura-se quem marcou mais e a equipa portuguesa fez pela vida com a Coreia do Norte.

O jogo de Nelspruit -- Brasil e Portugal jogam à mesma hora (15:00 de Lisboa) em Durban -- alimenta, mesmo assim, uma ténue esperança entre os "elefantes" e o defesa Guy Bemel alerta para o facto de as coisas ainda não terem acabado.

"Isto ainda não acabou. Falta um jogo e devemos a nós próprios uma vitória e, depois, esperar que as coisas surjam a nosso favor", disse o defesa do Hamburgo.

No jogo, Eriksson, a precisar de (muitos) golos deverá voltar a colocar Drogba a titular, apesar de o avançado ter estado sempre limitado (foi suplente com Portugal e titular com o Brasil), a jogar com uma tala depois de ter fraturado o braço.

No lado da Coreia do Norte, a estreia até tinha sido promissora (derrota apenas por 2-1) com o Brasil, mas o jogo com Portugal eliminou e arruinou a equipa, num embate que teve uma inédita transmissão televisiva em direto para o país.

Os norte-coreanos esperam agora que se recupere o orgulho nacional ferido e à equipa poderá faltar futebol, mas, de acordo com o técnico Kim Jung Hun, não faltará certamente vontade para sair deste mundial com boa cara.

"Falta-nos um jogo. Reforçaremos as nossas habilidades mentais e trabalharemos bem", disse o selecionador logo após a pesada derrota com Portugal.

O jogo entre Costa do Marfim e Coreia do Norte está agendado para as 16:00 (15:00 em Lisboa) no Estádio Mbombela, em Nelspruit, e será dirigido pelo árbitro espanhol Alberto Undiano.

--------------------------------------------------------------------

Espanha só passa se ganhar, grupo ainda em aberto

A Espanha precisa de vencer o Chile na derradeira jornada do grupo H do Mundial de futebol, na sexta feira, para ter a certeza de que segue para os oitavos de final da competição, evitando ficar dependente de terceiros.

Em caso de empate ou derrota, a Espanha, campeão europeia em título e uma das principais candidatas à conquista do Mundial, corre sérios riscos de deixar prematuramente a competição.

Todavia, quando falta uma jornada para fechar o grupo, qualquer das restantes três equipas do grupo - Chile, Suíça e Honduras - tem possibilidades matemáticas de continuar em prova.

Ao Chile bastará um empate para assegurar o primeiro lugar no grupo H, do qual saem as equipas que se vão cruzar nos oitavos de final com o grupo G, onde estão Portugal, Brasil, Costa do Marfim e Coreia do Norte.

Nos sete confrontos anteriores entre Espanha e Chile, a vantagem pende claramente para os espanhóis, com seis vitórias e apenas um empate. O Chile não passa a fase de grupos num Mundial desde 1962, quando organizou o Mundial.

À Suíça, que vai defrontar as Honduras, só a vitória interessa e, se possível, por mais de um golo. Se isso acontecer, consegue automaticamente o passaporte para a fase seguinte, independentemente do resultado do Espanha-Chile.

As Honduras, apesar de ainda não terem pontuado, ainda têm matematicamente possibilidades de seguir em frente, embora muito reduzidas. Para isso, os hondurenhos precisam de vencer a Suíça por três golos de diferença e esperar que o Chile bata a Espanha.

Para o técnico da seleção de Espanha, Vicente del Bosque, o "jogo frente ao Chile é uma final", mas lembrou que os seus jogadores "estão habituados a este tipo de jogos, com muita pressão".

Marcelo Bielsa, o treinador argentino da seleção chilena, destacou que a sua equipa só depende dela para "conquistar o bilhete para os oitavos de final e, para isso, basta-lhe demonstrar o entusiasmo que apresentou nos outros dois jogos".

O treinador alemão da equipa da Suíça, Ottmar Hitzfeld, já lançou o mote para o jogo frente às Honduras: "Temos de atacar".

"A defesa das Honduras sente alguma dificuldade quando é pressionada e por isso temos de atacar", disse.

Já Reinaldo Rueda, selecionador das Honduras, nunca falou na qualificação, mas apelou à "dignidade e profissionalismo" dos jogadores, os quais partiram para a África do Sul "cheios de esperança numa boa classificação".

"Vamos jogar por nós, pelas nossas famílias, por todos", afirmou.

 

*** Estes textos foram escritos ao abrigo do novo Acordo Ortográfico ***