Siga-nos

Perfil

Expresso

Mundial - 2010

Monstros na caravela

Ainda antes da bola rolar, Carlos Queiroz zurziu em adamastores e velhos do Restelo. Terminada a aventura dos Navegadores, tinha razão o professor. Ele há mesmo monstros, mas só que dentro da própria nau.

Paulo Paixão (www.expresso.pt)

Adamastores, velhos do Restelo e outras forças de bloqueio ("os portugueses que não estão com a seleção") - por este argumentário foi saltitando Carlos Queiroz, embora na hora da despedida tenha iludido tais desculpas.                    

Primeiro, foi a pequena trapalhada dos pré-convocados. Numa lista de 50 jogadores, de onde sairiam mais tarde 30, faltava um dos seis reservistas aos 23/24 escalados para a África do Sul.

Depois, a lesão nunca cabalmente explicada de Nani, uma rábula que o jogador atiçou ao dizer, já em Portugal, que estaria curado numa semana.

Seguiram-se as incendiárias declarações de Deco após o jogo com a Costa do Marfim, pondo em causa a autoridade do treinador e desafiando a memória de quem já o viu jogar em posições de que não gosta, sem jamais ter reclamado disso.  

As coisas estranhas prosseguiram com a lesão de Deco. Primeiro era numa coxa, depois passou para a outra perna, finalmente estabilizou numa anca.  

E, finalmente, Cristiano Ronaldo, o capitão de equipa. Após a derrota com a Espanha, sacudiu a água do capote e lançou um torpedo contra o casco da própria embarcação. 

Pelo meio, declarações de Nani, Deco e Ronaldo, de viva voz ou através das suas assessorias privadas de imprensa, a dizerem o contrário do que todos ouviram.

Adamastores, velhos dos Restelo e outras criaturas de mau agoiro... É verdade, havia mesmo monstros ao largo do Cabo das Tormentas. Só que, afinal, estavam dentro da própria caravela. Não é verdade, almirante Queiroz?