Siga-nos

Perfil

Expresso

Mundial - 2010

Milhares em "Mega pic-nic" para dizer adeus à seleção

Milhares de pessoas juntam-se hoje num "Mega pic-nic" para verem Tony Carreira e despedirem-se da seleção nacional que parte para a África do Sul. Clique para aceder ao dossiê Mundial-2010

O ambiente no Parque Eduardo VII era esta manhã o de um dia de praia, muito por culpa do "Mega pic-nic" promovido por uma cadeia de supermercados, a que acorreram milhares de pessoas.

A ação tem o seu momento alto previsto para o final do dia, quando os jogadores da seleção passarem pelo local em direção ao aeroporto, onde vão embarcar para a África do Sul, mas contou ainda com outros grandes momentos, como a atuação de Tony Carreira.

Muitos vieram de longe, como Regina Silva, que preparou o farnel de véspera e se levantou às 05:30 para enfrentar uma viagem de autocarro "longa, de muitas horas e muita confusão". Talvez nem seja tanto assim, talvez seja só a impressão de alguém que vai ter um dia diferente, especial, de alguém que mora em Espinho e vem a Lisboa pela primeira vez.

"Ver tudo de uma vez"

"Vim para passar um dia diferente, vim ver tudo, porque nunca vim a Lisboa. Venho ver a seleção, o Tony Carreira, que também nunca vi. Assim, vejo tudo de uma vez", disse Regina Silva à agência Lusa.

Na relva do Parque Eduardo VII, bem perto do palco, já a marcar lugar para o concerto de Tony Carreira, agendado para o final da tarde, Regina Silva foi arrumando os cestos, a geleira e a toalha para o pic-nic com os amigos que a acompanham.

À sua volta tendas, chapéus-de-sol, muitas famílias e crianças a brincar fazem lembrar um dia de praia. Nem os fatos de banho faltavam, apesar de não haver água por perto. Os mais desprevenidos trocaram a relva central pela sombra dos jardins adjacentes e das árvores nos passeios que ladeiam o parque.

Agostinho Silva veio de Setúbal com a família. Os pic-nics fazem parte dos hábitos de lazer da família, porque, refere, "é bom apanhar ar puro, aliviar um bocadinho a rotina de trabalho", mas ver a seleção de futebol antes da partida para o Mundial da África do Sul também era um objetivo, ainda que esteja "pessimista" quanto à prestação.

"Poderá vir a ser bom, mas eu não tenho fé. Acho que nas primeiras partidas vamos ficar logo pelo caminho", disse.

Vestidas de verde e vermelho

Cristina e as amigas também foram para ver a seleção. De verde e vermelho dos pés à cabeça só lamentavam não conhecer melhor o programa do pic-nic.

"Pensei que a seleção estava cá mais cedo, senão tinha vindo só para a ceia. Assim vim para o pic-nic, só para dar força à seleção", disse Cristina à Lusa, acrescentando que espera ver a equipa portuguesa chegar o mais longe possível no Mundial2010.

Ainda que considere a passagem da seleção pelo 'Mega Pic-Nic' "a cereja no topo do bolo" de um dia de festa, Miguel Osório, diretor de marketing da cadeia de supermercados Modelo, acha que o principal atrativo da festa é musical.

"Como parte da festa, o Tony Carreira tem, como teve o ano passado, um papel mobilizador fantástico", disse.

Miguel Osório sublinhou que até ao início da tarde a organização já tinha superado os números do ano passado, com mais de 20 000 pessoas reunidas em Lisboa, vindas de todo o país, em mais de 370 autocarros.

"Temos todos os ingredientes para ter um grande dia em família", considerou o responsável, acrescentando que "não há razões" para que o evento não tenha continuidade nos próximos anos.

Este texto foi escrito ao abrigo do novo Acordo Ortográfico 

Clique para ler a Nota da Direcção do Expresso sobre o novo Acordo Ortográfico.