Siga-nos

Perfil

Expresso

Mundial - 2010

Jogadores franceses em greve

A selecção francesa implodiu e a expulsão do avançado Anelka resultou num desastre. Os jogadores recusam treinar e contestam a Federação e o seleccionador Domenech.

Daniel Ribeiro, correspondente em Paris (www.expresso.pt)

Os jogadores franceses entraram esta tarde em greve, contestando a expulsão de Anelka da selecção depois dos seus insultos ao seleccionador, Raymond Domenech, no intervalo do jogo de quinta-feira com o México.

A situação no grupo gaulês agravou-se nas últimas horas e esteve hoje à beira do confronto físico entre o capitão, Patrice Evra, e um preparador físico, Robert Duverne. Depois disso, os jogadores humilharam Domenech, obrigando-o a ler um seu comunicado aos jornalistas. O director desportivo da Federação, Jean-Louis Valentin, demitiu-se pouco depois.

Os internacionais franceses reclamam a reintegração de Anelka na equipa, recusando que ele seja o "bode expiatório" dos problemas da selecção francesa neste Mundial, onde a equipa não ganhou ainda qualquer jogo nem marcou sequer um golo.

"Caça ao traidor"

O Governo de Paris tentou ontem acalmar a crise na selecção e a violência latente no grupo, apelando à "dignidade de todos".

Mas o apelo não teve eco na África do Sul, onde nada funciona neste momento no seio da equipa francesa e onde os jogadores lançaram a "caça ao traidor" que passou as informações sobre os insultos de Anelka para os jornalistas.

"O que se passa é uma vergonha para a França, a selecção está em cacos, é preciso construir tudo de novo no futuro e começar por demitir todos os dirigentes do futebol profissional francês", disse esta tarde um comentador na televisão francesa.

Neste momento não se sabe sequer se a França vai comparecer na próxima terça-feira no jogo contra a África do Sul.