Siga-nos

Perfil

Expresso

Mundial - 2010

EUA alertam para risco de terrorismo no Mundial 2010

Violência e risco de terrorismo na África do Sul ensombram Mundial 2010. EUA aconselham norte-americanos a evitar o país durante o campeonato de futebol. Alerta do Departamento de Estado termina a 31 de Julho. Clique para aceder ao índice do dossiê Mundial 2010

Maria Luiza Rolim (www.expresso.pt)

O Departamento de Estado dos EUA divulgou esta semana um alerta aos cidadãos norte-americanos residentes na África do Sul, ou que pretendam viajar com esse destino, para o risco de terrorismo e violência no país africano.

Clique para aceder ao índice do dossiê Mundial 2010

As recomendações do Governo são para os norte-americanos evitarem viajar à África do Sul e estarem nos locais onde se vai realizar o Mundial. O alerta caduca a 31 de Julho. 

Risco de terrorismo

Segundo o Governo norte-americano, "há um alto risco de que grupos terroristas conduzam atentados na África do Sul num futuro próximo". Admitindo não possuir informação específica sobre que tipo de actos terroristas estariam a ser planeados, o Departamento de Estado dos EUA lembra que um grande número de ameaças "foi divulgada pela comunicação social nos últimos meses".

O Departamento de Estado dos EUA aconselhou ainda os norte-americanos a manterem fechadas as portas e janelas dos carros sempre que estiverem a circular na África do Sul, e a não andarem com objectos de valor ou jóias caras. Alertou, também, para as deficiências do sistema de transporte público no país, recomendando aos turistas que aluguem carros. 

Entre os participantes do Mundial, os EUA foram o país que mais vendeu pacotes turísticos para o campeonato. De acordo com o site sul-africano Sport 24, os norte-americanos já adquiriram 160 mil ingressos para os jogos, à frente, no ranking, dos alemães e ingleses.

Brasileiro sequestrado

Esta semana, na África do Sul, um gang de nigerianos sequestrou e torturou um empresário brasileiro de 48 anos, identidade ainda não revelada, que ontem foi libertado pela polícia sul-africana. 

Os bandidos sequestraram também, junto com o brasileiro junto com um cidadão coreano, o qual pagou resgate e foi libertado. Foi esse homem quem alertou a polícia sobre o sequestro.