Siga-nos

Perfil

Expresso

Mundial - 2010

"Bis" de David Villa relança Espanha

Actualização permanente: principais notícias Lusa de hoje sobre o Mundial. Clique para aceder ao índice do Dossiê Mundial-2010

21h21 - Espanha bate Honduras e relança-se

A Espanha venceu hoje as Honduras por 2-0, em Joanesburgo, e ascendeu ao segundo lugar do Grupo H do Mundial de futebol de 2010, relançando-se na corrida aos oitavos de final.

Um "bis" de David Villa, aos 17 e 51 minutos, que ainda falhou uma grande penalidade, aos 62, selou o triunfo dos detentores do título europeu, que tinham iniciado a prova com um desaire por 1-0 face à Suíça.

O avançado que vai alinhar no FC Barcelona em 2010/2011 igualou Basora, Butragueño, Hierro, Morientes e Raul na lista dos melhores marcadores da Espanha em Mundiais, ao passar a somar cinco golos, depois dos três no Alemanha2006.

 --------------------------------------------------------------------------

20h29 - FIFA satisfeita com nível "muito alto" dos árbitros



A FIFA manifestou hoje a sua satisfação pela atuação dos árbitros no Mundial de futebol a decorrer na África do Sul, apesar das críticas que têm surgido acerca de algumas decisões arbitrais. 

 

O responsável pela arbitragem da FIFA, o espanhol José Maria Garcia Aranda, admitiu "algumas decisões incorretas" dos árbitros, mas considerou-as como "erros inevitáveis". 

 

"Algumas decisões no campo não foram corretas, mas é normal que aconteça, tendo em conta que os árbitros são seres humanos", disse Aranda, prometendo trabalhar no sentido de "tentar melhorar" essas decisões que "não têm sido suficientemente boas", razão pela qual "treinam todos os dias". 

 

Para Garcia Aranda, os árbitros "não devem explicar" as suas decisões mais controversas aos jogadores ou à comunicação social, posição apoiada pelo árbitro suíço Máximo Busacca, tido como um bom comunicador e um dos candidatos a dirigir a final: "Não estamos preparados para isso", confessou.

 

Já o juiz uruguaio Jorge Larrionda, que apitou o Portugal-Costa do Marfim, considerou que os "adeptos sul-americanos não gostam de ouvir os árbitros a falar de si próprios". 

 

"Se calhar, é melhor fechar a boca", disse Larrionda, que irá arbitrar o seu terceiro jogo na prova, o Austrália-Sérvia, na quarta feira. 

 

A maioria dos 30 árbitros da competição pronunciaram-se numa sessão que decorreu numa escola perto de Pretória, tendo dois dos ausentes sido os árbitros do Mali, Koman Couilbaly, e da França, Stéphane Lannoy, na sequência dos péssimos trabalhos que realizaram no jogos Estados Unidos-Eslovénia e Costa do Marfim-Brasil. 

 

O primeiro anulou, inexplicavelmente, o que seria um golo limpo dos Estados Unidos, o terceiro, que daria a vitória aos norte-americanos, e o segundo por ter sancionado um golo irregular do Brasil, marcado por Luís Fabiano, depois de ter ajeitado a bola com o braço, e por ter expulso Kaká, com dois amarelos incríveis. 



No segundo, o jogador da Costa do Marfim, Kader Keita, correu em direção a Kaká, projectando-se contra este, levando o árbitro a mostrar o segundo amarelo ao brasileiro.   



Garcia Aranda recusou-se a discutir decisões individuais dos árbitros, mostrando-se muito satisfeito com a atuação dos árbitros: "A FIFA está orgulhosa pelo trabalho dos árbitros de todas as confederações até ao momento. O seu nível tem sido alto, muito alto". 

 

"Temos visto excelentes decisões no terreno de jogo. Com 32 câmaras e milhares de pessoas a fiscalizar essas decisões, é natural que nos apercebamos que algumas decisões não foram as mais corretas", referiu.  

 

A FIFA preparou um lote de 30 árbitros e seus assistentes, com treinos físicos e psicológicos durante um mês, pagando a cada um 40 000 euros pela sua participação. 



--------------------------------------------------------------------------

20h06 - Grupo A: Tudo ou nada para franceses



México e Uruguai discutem terça feira a liderança do grupo A do Mundial de futebol África do Sul2010, sabendo que um empate qualificará as duas equipas para os "oitavos", afastando a França e a anfitriã da competição. 

 

Em Rustemburgo, as duas seleções americanas, que comandam o grupo com quatro pontos, sabem que o empate chega, mas sabem também que a vitória, e a liderança da "poule", poderá evitar a temível Argentina, caso a equipa orientada por Maradona vença o grupo B.  



Vida mais bem complicada têm a França, protagonista de vários escândalos e ainda sem qualquer golo, e a anfitriã África do Sul, que se defrontam também terça feira. 

 

Só uma improvável combinação de resultados poderá permitir a qualificação dos anfitriões ou dos vice-campeões mundiais: a derrota de México ou Uruguai, aliada a um triunfo por, pelo menos, três golos de diferença. 

 

A França chega à jornada decisiva após o escândalo da expulsão de Anelka, e depois de uma derrota e um empate, enquanto a África do Sul corre o risco de ser o primeiro anfitrião a ficar fora dos "oitavos".  

 

"É difícil  1/8preparar um jogo 3/8 neste contexto. Perdemos muitas energias fora do campo, mas não são as palavras que contam, não haverá mais palavras, mas sim actos e um simples acto, no terreno de jogo, o resto não interessa mais", comentou o selecionador francês Raymond Domenech. 

 

O selecionador da África do Sul, Carlos Alberto Parreira, já anunciou que vai fazer cinco alterações na equipa, mas admitiu que as chances que qualificação dos 'Bafana Bafana' "são mínimas". 

 

"A verdade é que não dependemos apenas de nós. Estamos dependentes dos resultados de outras equipas, mas isso não afeta a nossa motivação para o jogo", afirmou o técnico. 

 

Do lado do Uruguai, o técnico Óscar Tabárez já confirmou que vai utilizar o mesmo "onze" que venceu a África do Sul, por 3-0, depois de o portista Fucile ter recuperado da lesão no jogo com os anfitriões da prova. 

 

"Vamos tentar limitar o México, contestar as suas virtudes e procurar causar estragos", disse o seleccionador, lembrando que "dois três resultados possíveis, dois servem", afirmou. 

 

O selecionador do México, Javier Aguirre, garantiu que a sua equipa vai "apresentar-se forte e sólida, como fez no jogo frente à França", no qual venceu por 2-0. 

 

França e África do Sul defronta-se no estádio Free State, em Bloemfontein, sob arbitragem do colombiano Óscar Ruiz, enquanto México e Uruguai jogam no estádio Real Bafoken, em Rustemburgo, num encontro dirigido pelo húngaro Víktor Kassai. Ambos os encontros estão agendados para as 16h00 (menos uma hora em Lisboa). 

 

--------------------------------------------------------------------------

19h30 - Selecionador francês diz que boicote dos jogadores é "estupidez sem nome" 

O selecionador francês de futebol classificou hoje as decisões dos seus jogadores de boicotar os treinos no Mundial2010 da África do Sul como uma "estupidez sem nome". 

 

"Tentámos convencê-los de que o que se passava era uma aberração, uma estupidez sem nome. É preciso acabar com a palhaçada. De qualquer maneira, não cauciono estas atitudes", afirmou Raymond Domenech. 

 

Os jogadores franceses recusaram treinar-se no domingo em protesto contra a exclusão do grupo do avançado Anelka, depois de ter sido noticiado que o avançado do Chelsea insultou o treinador no intervalo do encontro com o México, e hoje treinaram sem os logótipos dos patrocinadores. 

 

"A sanção contra Anelka é justificada. Ninguém tem o direito de se comportar daquela forma e apoio a decisão tomada pela federação francesa. A primeira sanção foi desportiva porque o substitui ao intervalo, a segunda foi administrativa", continuou Domenech. 

 

A França, vice campeã do Mundo, tinha empatado sem golos diante do Uruguai e perdeu depois, por 2-0, frente ao México, na segunda ronda do Grupo A, que conta ainda com a anfitriã África do Sul, próxima adversária dos "bleus", na terça feira. 

 

Domenech precisou ainda que só leu o comunicado dos atletas à Comunicação Social porque era preciso "fazer qualquer coisa", após "45 minutos de conversações no autocarro". 

 

"Os franceses que seguiam aquilo em direto tinham o direito de saber o que se passava. Li o texto e fui-me embora. Em nenhum momento caucionei o documento", afirmou. 

 

O capitão Evra não esteve presente na conferência de imprensa e Domenech justificou o facto de se apresentar sozinho no ato com as atitudes injustificáveis dos jogadores. 

 

"Tudo o que possam dizer não teria sentido sentido, o que conta é o seu comportamento e eles devem mostrá-lo em campo", explicou Domenech.

-------------------------------------------------------------------------- 

17h00 - Chile bate Suíça e está a um ponto dos oitavos

O Chile somou hoje o segundo triunfo no Grupo H do Mundial de futebol de 2010 e colocou-se a um ponto dos oitavos de final, ao vencer a Suíça por 1-0, em Port Elizabeth.

Um golo de Mark Gonzalez, servido por Esteban Paredes, dois jogadores que iniciaram o encontro no banco, selou, aos 75 minutos, o triunfo dos chilenos, que se haviam estreado com um triunfo sobre as Honduras (1-0).

Por seu lado, a Suíça, que conseguiu a maior surpresa da jornada inaugural, ao vencer a Espanha (1-0), manteve-se com três pontos, num embate que jogou com 10 unidades desde os 31 minutos, altura em que Valon Behrami viu o vermelho direto.

--------------------------------------------------------------------------

16h05 - Queiroz diz que arbitragem do Brasil--Costa do Marfim foi má para o futebol

O selecionador português, Carlos Queiroz, considerou hoje que a arbitragem do encontro entre o Brasil e a Costa do Marfim, do Grupo G do Mundial2010 -- o mesmo de Portugal --, foi má para o futebol. 

No domingo, o médio brasileiro Kaká viu dois amarelos em lances em que se envolveu com jogadores marfinenses, falhando, assim, o encontro com Portugal, em lances idênticos aos que originaram punições a Cristiano Ronaldo e Hugo Almeida. 

"A minha preocupação é que os árbitros façam um bom trabalho. O que se passou não foi bom para o futebol. Se houvesse sanções, era para os jogadores da Costa do Marfim", disse.  

Carlos Queiroz considerou que "as imagens não justificam" a expulsão de Kaká e que "os árbitros não podem ter a fragilidade de decidir a favor das equipas mais pequenas", acrescentando que "as decisões têm de ser preto no branco". 

---------------------------------------------------------------------------

11h04 - Brasil e Costa do Marfim não apresentaram queixa à FIFA pela actuação do árbitro

A FIFA anunciou hoje não ter recebido qualquer queixa das seleções de futebol do Brasil ou da Costa do Marfim, a propósito do jogo de domingo entre os dois países, no Mundial da África do Sul. 

Entre outras matérias, o Brasil -- que venceu 3-1 - queixou-se da expulsão de Kaká, enquanto a Costa do Marfim lamentou que o segundo golo da "canarinha" tivesse sido apontado depois de Luís Fabiano ter ajeitado a bola com a mão, por duas vezes. 

"Não recebemos qualquer queixa. Se isso tivesse acontecido, teríamos agido e avaliado o problema", disse o porta voz da FIFA Nicolas Maingot, na habitual conferência de imprensa diária. 

Além disso, Maingot disse também que a FIFA não comenta as arbitragens caso a caso e explicou que os árbitros estão igualmente impossibilitados de comentarem o trabalho dos seus companheiros de profissão. 

----------------------------------------------------------------------------

10h38 - Televisão da Coreia do Norte transmite em direto jogo contra Portugal 

A Coreia do Norte vai transmitir hoje em direto o jogo da sua seleção de futebol contra a equipa portuguesa, o que acontece pela primeira vez num campeonato Mundial da modalidade. 

O anúncio da transmissão aparece na programação de hoje da Televisão Central norte-coreana, informa a agência de notícias sul-coreana Yonhap.

A última vez que a Coreia do Norte transmitiu em direto um jogo de futebol foi em junho de 2009, quando a equipa do país defrontou o Irão numa partida da fase de qualificação para o Mundial da África do Sul. 

Na semana passada, a Televisão Central transmitiu em diferido o jogo da Coreia do Norte contra o Brasil, em que a seleção do país foi muito elogiada na imprensa, apesar da derrota por 2-1 frente à equipa sul-americana. 

A seleção de futebol norte-coreana participa no Mundial após um interregno de 44 anos e faz parte do grupo G, com Portugal, Brasil e Costa do Marfim.

No Mundial de Inglaterra em 1966, a Coreia do Norte foi eliminada nos oitavos de final por Portugal, com uma derrota por 5-3, depois de ter estado a vencer por 3-0. 

----------------------------------------------------------------------

7h - Campeã europeia Espanha volta a entrar em campo 

A Espanha, campeã europeia derrotada no primeiro jogo, entra hoje em campo no Mundial2010 de futebol para defrontar as Honduras, num dia em que Portugal também joga e que encerra a segunda ronda da competição.

Depois de um inesperado desaire na estreia, com a seleção da Suíça (1-0), a "fúria espanhola" é esperada no Ellis Park, em Joanesburgo (19:30 de Lisboa), com os espanhóis à procura da primeira vitória no Mundial. 

O favoritismo está no lado da "La Roja", mas no outro jogo do grupo H, Suíça e Chile medem forças, num confronto (15:00) em que as duas equipas vão tentar capitalizar as vitórias da estreia e "aproximarem-se" desde já de um apuramento. 

Neste dia também Portugal encerra, na Cidade do Cabo, frente à Coreia do Norte (12:30 de Lisboa) as contas da segunda jornada do grupo G, depois da vitória no domingo do Brasil frente à Costa do Marfim (3-1), que valeu desde já o apuramento aos brasileiros. 

-------------------------------------------------------------------------

00h05 - Drogba diz que segundo golo do Brasil obrigou Costa do Marfim a destapar-se 

O avançado da Costa do Marfim Didier Drogba, disse que segundo golo de Luís Fabiano frente ao Brasil para o Grupo G do Mundial de futebol, "fez mal à equipa e obrigou-a a destapar-se". 

"O segundo golo é questionável e fez-nos muito mal, na medida em que nos obrigou a destapar-nos, a expor-nos", disse Drogba, lembrando que o árbitro perguntou a Luís Fabiano "se tinha tocado a bola" com a mão e que este "respondeu que não". 

Com esta derrota, Drogba considera que a qualificação para os oitavos de final "está difícil e que não depende apenas da Costa do Marfim", que luta pelo apuramento com Portugal e com a Coreia do Norte.  

Rejeitou estar deprimido, preferiu antes dizer "dececionado", por entender que "o crescimento que a equipa tem tido desde o último Mundial justificava que fosse "mais ambiciosa e atrevida", mas resignou-se com a expressão "é futebol...". 

Quanto à badalada fratura do braço direito, limitou-se a um comentário lacónico: "Está bem, obrigado!".  

 

*** Estes textos foram escritos ao abrigo do novo Acordo Ortográfico ***