Siga-nos

Perfil

Expresso

Final da Liga Europa 2011

Platini e Pinto da Costa amigos outra vez

Em 2008, o líder da UEFA confessou, no calor do 'Apito Final', não estar "nada contente" com a inclusão do FC Porto na Liga dos Campeões. Agora, Michel Platini diz que são "águas passadas".

Isabel Paulo (www.expresso.pt)

Michel Platini e Pinto da Costa viram, ontem, lado a lado e em amena conversa, o FC Porto erguer pela terceira vez em oito anos um troféu da UEFA. 

Em Dublin, o presidente da UEFA teve de engolir um "dragão", depois de em maio de 2008 ter declarado ao jornal espanhol "Mundo Deportivo" não estar nada contente com a participação dos portistas na Liga dos Campeões.

"A UEFA vai lutar até à morte contra a corrupção", alertou Michel Platini, sustentando então que uma equipa sancionada pela sua federação e pela UEFA, por corrupção, ficaria impedida de disputar uma competição europeia.

Suspenso pela UEFA após recurso do Vitória de Guimarães e do Benfica para a Comissão de Disciplina da UEFA, na sequência dos dois anos de suspensão aplicados a Pinto da Costa e perda de 6 pontos ao FC Porto, imposta pela Comissão Disciplinar da Liga de Clubes, o FC Porto acabaria por sair incólume do processo.

FC Porto não é batoteiro

Em julho de 2008, os portistas foram despenalizados pelo Tribunal Arbitral do Desporto e pelo Comité de Apelo da UEFA, deliberação que obrigou Michel Platini a retratar-se publicamente e a dizer que, afinal, "o FC Porto não é batoteiro".

Ontem, em Dublin, poucas horas antes do FC Porto-Braga, Michel Platini afirmou à Antena 1 estar sempre "ao lado das equipas que atingem a final, porque é sinal de que merecem lá estar", garantindo que o caso envolvendo o FC Porto eram "águas passadas".

Durante a partida, Gilberto Madaíl, presidente da FPF, sentou-se entre ambos. E no final do jogo, pinto da Costa retirou-se para logo voltar, liderando a comitiva de elementos do FC Porto que subiram à tribuna de honra para receberem, das mãos de Michel Platini, as medalhas de campeão, a placa alusiva eo troféu.