Siga-nos

Perfil

Expresso

Estoril Open 2007

Gil em frente com vitória brilhante

Foram precisas mais de duas horas para o português vencer o número 55 do mundo. Segue-se Max Mirnyi ou Richard Gasquet.

Brilhante. Esta é a melhor forma de descrever o final de dia vivido no Jamor, com a vitória de Frederico Gil sobre Ruben Ramirez-Hidalgo (6-1, 4-6 e 6-3), em mais de duas horas de jogo.

Gil esteve brilhante durante o primeiro set, não dando qualquer hipótese ao seu adversário, mas no segundo parcial não conseguiu manter o ritmo e acabou derrotado. Na "negra", o português, número 142 do mundo, esteve em desvantagem no marcador, mas conseguiu dar a volta para vencer o encontro e seguir para a segunda ronda, onde irá jogar frente ao vencedor do encontro entre Max Mirnyi e Richard Gasquet.

Frederico Gil continua, assim, a ser o único jogador português em prova no quadro masculino.

Mau perdedor

No final do jogo, Ruben Ramirez-Hidalgo queixou-se da calendarização do seu jogo frente a Frederico Gil, já que defende o castelhano, teve pouco tempo de recuperação, dado ter jogado as meias-finais do torneio de Casablanca no passado sábado.

"Não estava a 100%, não tive tempo para descansar depois de Casablanca. Pensava que ia jogar terça-feira, é o que acontece normalmente quando se vem de um torneio que se atinge as meias-finais. Não aconteceu, joguei hoje, perdi, e pronto, nada mais", disse o espanhol, revelando alguma amargura pela derrota frente a Frederico Gil.

A resposta às alegações de Ramirez-Hidalgo não se fez esperar por parte da organização do torneio, que veio esclarecer a situação pela voz de Thomas Schrader, Tour Manager do ATP. "O Ruben teve um dia de folga. O supervisor, eu e o torneio decidimos assim. Está dentro das regras. Está a acontecer o mesmo com os finalistas do torneio de Casablanca, o Montanes e o Mathieu, que jogam amanhã, com um dia de descanso", disse o responsável do ATP, que ainda acrescentou que "não houve qualquer pedido do Frederico Gil para jogar segunda-feira".

Honra para eles...

Frederico Gil era, no final do encontro, um jogador logicamente mais animado do que o seu adversário. O tenista português começou por dizer que a única lição era "acreditar", reconhecendo que "todos os jogos são difíceis". Ainda assim, assumiu que a ansiedade o poderia ter traído.

"Podia ter fechado em dois sets (Gil teve 4-2 a seu favor na segunda partida), mas acabei por sofrer as consequências de alguma ansiedade. Felizmente consegui vencer no terceiro set e somar mais uma vitória naquele campo, que é o meu preferido", disse Gil.

O tenista português comentou ainda o adversário da segunda ronda, que sairá do confronto entre Max Mirnyi e Richard Gasquet, dois jogadores do top 50 mundial.

"Eles é que vão ter a honra de jogar contra mim em Lisboa e neste piso", disse em tom de brincadeira, para depois, mais a sério, assumir que não tem preferência.