Siga-nos

Perfil

Expresso

Os dias de brasa no BCP

Trabalhos recomeçam

Assembleia Geral do BCP recomeça às 16:34, com leitura de declaração de Paulo Teixeira Pinto sobre retirada da proposta de alargamento do Conselho de Administração.

A Assembleia Geral do BCP recomeçou às 16:34, com 63,15% dos votos presentes, uma percentagem muito abaixo do valor inicialmente esperado.

As previsões apontavam para a presença de 75 a 80% dos accionistas.

No reinício dos trabalhos, foi lida uma declaração de Paulo Teixeira Pinto a justificar a retirada da proposta de alargamento do Conselho de Administração.

O presidente do BCP justifica a decisão de retirar a proposta, alegando «o esvaziamento do seu conteúdo» depois do presidente da mesa da Assembleia Geral ter recusado a hipótese de serem discutidosos nomes dos novos administradores.

«A assembleia mantém potencial de criação de fracturas dificilmente sanáveis», afirma Paulo Teixeira Pinto na declaração onde apela, também, «à união de todos» em defesa da instituição.

A polémica à volta das participações da ABN e Eureko marcou, também, o início dos trabalhos, já que o Presidente da Mesa da Assembleia Geral decidiu admitir que ambos os accionistas votem com as acções que demonstrarem estar em seu nome. 

Esta decisão é acompanhada da garantia de que em caso de votação secreta os dois accionistas tornarão conhecido o seu voto