Siga-nos

Perfil

Expresso

Os dias de brasa no BCP

BCP inicia sessão a subir

Paulo Teixeira Pinto só sairá do banco se a proposta do número de administradores for chumbada

O BCP começou hoje a sessão de Bolsa a subir 1,91% em relação ao fecho de ontem e é um dos títulos do índice PSI-20 que mais sobem.

O presidente do BCP, Paulo Teixeira Pinto pediu ontem, em entrevista à SIC Notícias, que os accionistas do banco cheguem a um entendimento antes da Assembleia Geral (AG) de segunda-feira. Recusou, no entanto, o repto lançado por Jardim Gonçalves, presidente do Conselho Geral e de Supervisão, para que faça tudo para evitar que a AG se realize pois em sua opinião tal não compete à administração do banco. E refere que a AG, apesar de não ser desejável, pode ser útil para clarificar a situação do banco, dadas as divergências entre accionistas.

Teixeira Pinto deixou também claras as condições em que recusará ficar à frente do BCP. Referiu que se a proposta de alargamento do conselho de administração for votada pelos accionistas – o que está dependente da decisão do presidente da mesa da AG, Germano Marques da Silva, de a colocar á votação – e se for chumbada, sairá do banco.

O presidente do BCP aproveitou para se distanciar das propostas que estão neste momento em cima da mesa para a AG – nomeadamente a mudança do modelo de governo do banco e a destituição de cinco administradores – referindo que se elas forem chumbadas não vê motivos para se demitir. "As propostas não são minhas", afirmou.