Siga-nos

Perfil

Expresso

Os dias de brasa no BCP

Assembleia pode ser adiada

Contagem de votos do Fortis levou a que presidente da mesa da AG declarasse suspensão

A Assembleia Geral do BCP foi suspensa por causa de problemas informáticos que colocaram em causa a fiabilidade do sistema de contagem de votos. Em causa está a votação do Fortis relativa à proposta de entrada na ordem de trabalhos.

Após três horas de AG marcadas por uma batalha jurídica em torno das participações da Eureko e do ABN Amro o presidente da mesa da AG tentou entrar na ordem de trabalhos e colocou essa decisão à votação dos accionistas. Germano Marques da Silva foi criticado por esta medida mas avançou com a votação. No entanto, o representante do Fortis veio dizer que os seus votos não foram contados pois a proposta foi aprovada por 95% dos votos e o Fortis, que votou contra, representa mais de 5%.

Também a alegada limitação de direitos de voto de alguns accionistas levou a que fossem colocadas algumas dúvidas à mesa da AG. Sonangol e JP Morgan dizem que não existe limitação em relação às suas participações.

A AG tem estado a ser também marcada por muitos ânimos exaltados. É comum ouvir accionistas aos gritos, pedindo para falar.