Siga-nos

Perfil

Expresso

Jogos Olímpicos 2008

Pistorius autorizado a correr em Pequim

O Tribunal Arbitral de Desporto (TAS) deu razão ao velocista sul-africano, que poderá correr os 400 metros nos Jogos Olímpicos se conseguir os mínimos. Sonho está à distância de pouco mais de um segundo. (Veja o vídeo no fim do texto)

Nélson Marques

O Tribunal Arbitral de Desporto (TAS) deu ontem provimento ao recurso apresentado pelo atleta paralímpico sul-africano Óscar Pistorius, que pretende correr nos Jogos Olímpicos de Pequim. Pistorius, que tem ambas as pernas amputadas abaixo dos joelhos, havia visto negada a sua pretensão pela Federação Internacional de Atletismo (IAAF), com o argumento que as suas próteses o beneficiavam, mas viu agora reacender-se a chama do seu sonho olímpico.

"Como devem imaginar, tenho tido dificuldade em esconder o meu sorriso nesta última meia-hora", revelou o atleta numa conferência de imprensa, logo após ter sido conhecida a decisão. "Agora posso dizer que a verdade prevaleceu. Tenho novamente a oportunidade de perseguir o meu sonho olímpico, senão em 2008, em 2012". Para carimbar o passaporte para Pequim, Pistorius terá que correr os 400 metros em 45,55 segundos, sensivelmente menos um segundo que o seu recorde pessoal (46,56). Mesmo que não consiga a marca, deverá ainda assim marcar presença em Pequim, como integrante da equipa da estafeta de 4x400 metros.

Em comunicado, o TAS considerou não estar provado que as famosas "cheetahs" de Pistorius - próteses ultraleves (pesam menos de um quilo) fabricadas em fibra de carbono - lhe confiram uma vantagem competitiva em relação aos atletas normais. "Com base nas provas apresentadas pelos peritos de ambas as partes, não ficámos convencidos que existissem provas suficientes de qualquer vantagem metabólica a favor do uso pelo duplo amputado da Cheetah Flex-Foot". O tribunal lembrou, contudo, que a decisão se aplica apenas a este caso.

Pistorius, de 21 anos, foi amputado aos 11 meses por ter nascido sem fíbulas, ossos de ligação entre os joelhos e tornozelos. Campeão paralímpico dos 200 metros em Atenas (2004), bateu já este ano os recordes mundiais dos 100, 200 e 400 metros para deficientes. No Verão, o "Blade Runner", como também conhecido, foi segundo classificado da série B da Golden League realizada em Roma, deixando para trás seis atletas sem deficiências físicas, com o tempo de 46,90.

Caso marque presença em Pequim, Pistorius será o primeiro atleta amputado a participar na maior prova desportiva do mundo, mas não será o primeiro deficiente. Portugal, por exemplo, foi representado em Atenas por um lutador surdo, Hugo Passos.

  • A Federação Internacional de Atletismo vai decidir, quinta-feira, se o sul-africano, amputado às pernas dos joelhos para baixo, pode ou não competir com as suas próteses ultra-leves em fibra de carbono nos próximos Jogos Olímpicos.