Siga-nos

Perfil

Expresso

Nova crise em Gaza

Vaticano qualifica ocupação israelita como "injustiça política"

O Vaticano fala em "uma injustiça política imposta aos palestinianos" num documento de trabalho para um sínodo sobre o Médio Oriente.

O Vaticano qualifica a ocupação israelita de territórios na palestina como "uma injustiça política imposta aos palestinianos" num documento de trabalho para um sínodo sobre o Médio Oriente, previsto para outubro, segundo excertos hoje divulgados pela agência Ansa.

O documento preparatório da assembleia eclesiástica, que será realizada entre 10 a 24 de outubro no Vaticano, deverá ser divulgado domingo durante a viagem do papa Bento XVI ao Chipre.

Um porta-voz do Vaticano, padre Ciro Benedettini, recusou confirmar o conteúdo dos excertos divulgados pela agência noticiosa italiana, referindo que o documento está "sob embargo".

Dificuldades da população palestiniana

"A ocupação israelita dos territórios palestinianos torna difícil a vida quotidiana em relação à liberdade de movimentos, economia e vida social e religiosa" da população, denuncia o documento divulgado.

"Alguns grupos fundamentalistas cristãos justificam com base nas santas escrituras a injustiça política imposta aos palestinianos, o que torna ainda mais delicada a posição dos árabes cristãos", afirma o mesmo texto.

Entre as dificuldades da população palestiniana, o documento cita, entre outras, "o acesso aos locais sagrados, condicionado por autorizações militares, que são permitidas a algumas, mas rejeitadas a outros por motivos de segurança".

O documento, de 40 páginas, é parte de um trabalho global que aborda a difícil situação dos cristãos na região e os conflitos regionais, com a questão palestiniana como tema de fundo, segundo a Ansa.

*** Este texto foi escrito ao abrigo do novo Acordo Ortográfico ***

Clique para ler a Nota da Direcção do Expresso sobre o novo Acordo Ortográfico.